sicnot

Perfil

Mundo

Alemanha negoceia com Namíbia possíveis indemnizações por massacre de hereros

© Hannibal Hanschke / Reuters

O Governo alemão confirmou esta sexta-feira que negoceia com a Namíbia possíveis indemnizações pelo massacre dos hereros por tropas coloniais alemãs no início do século XX, que o parlamento e o executivo de Berlim não reconhecem oficialmente como "genocídio".

Depois de os principais media alemães terem divulgado que representantes dos povos herero e nama apresentaram nos Estados Unidos um pedido coletivo contra a Alemanha para exigir compensações económicas, o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Martin Schafer, disse que Berlim mantém um diálogo direto com o governo namibiano.

As compensações que estão a ser analisados incluem possíveis indemnizações económicas, admitiu Schafer, assinalando que o executivo alemão não tem informação oficial do pedido coletivo.

Precisou que o interlocutor do executivo alemão é o governo da Namíbia, embora não se exclua que no futuro organizações civis possam juntar-se às negociações.

O massacre de dezenas de milhares de hereros e namas entre 1904 e 1908 constitui um dos capítulos mais sombrios da história da colónia alemã do Sudoeste Africano (atual Namíbia) e é considerado um precedente de outras limpezas étnicas.

O levantamento herero contra o domínio alemão iniciou-se a 12 de janeiro de 1904 e pouco mais de 15.000 dos perto de 80.000 hereros sobreviveram à guerra colonial e ao internamento em campos de concentração. Calcula-se que os soldados do kaiser Guilherme II também mataram 10.000 namas, 50% da população total.

Schafer explicou que as conversações com a Namíbia, que começaram há cerca de dois anos, correm "bem, mas não são fáceis, porque o tema é difícil".

Lusa

  • Família Aveiro na inauguração do Aeroporto Cristiano Ronaldo
    2:34

    País

    A decisão de dar o nome de Cristiano Ronaldo ao aeroporto da Madeira divide opiniões. Contudo, na cerimónia de inauguração desta quarta-feira só se ouviram aplausos. Os madeirenses juntaram-se à porta do aeroporto para ver e receber o melhor jogador do mundo. Também a família do jogador esteve na Madeira para apoiar Ronaldo.

  • A (polémica) mudança de nome do aeroporto da Madeira
    2:00

    País

    O aeroporto da Madeira é desde esta quarta-feira aeroporto Cristiano Ronaldo. O Presidente da República e o primeiro-ministro estiveram juntos na homenagem ao futebolista. A alteração não é consensual entre os madeirenses.

  • O busto de Ronaldo que virou piada no mundo inteiro
    2:04

    País

    No dia em que foi formalizado o novo nome do aeroporto da Madeira, foi também conhecido o busto em bronze de Cristiano Ronaldo e que, desde logo, começou a provocar reações em todo o mundo. As críticas da imprensa internacional não são propriamente positivas e a internet aproveitou para dar contornos humorísticos à criação.

  • Os seus descontos para a Segurança Social estão em ordem?
    7:50
    Contas Poupança

    Contas Poupança

    4ª FEIRA JORNAL DA NOITE

    Os portugueses estão cada vez mais preocupados com a reforma. O valor que se vai receber depende dos descontos que se fizerem para a Segurança Social. Mas há contabilistas que cometem burlas com o dinheiro dos clientes, há esquecimentos, e empresas que deixam de pagar as contribuições por falta de verbas. O Contas Poupança explica-lhe como pode ver neste instante se todos os seus descontos estão nos cofres da Segurança Social, e corrigir algum erro antes que seja tarde demais.

  • "Não há razão para fingirmos que hoje é um dia feliz"
    1:55

    Brexit

    Depois de receber esta quarta-feira a notificação do Brexit, o presidente do Conselho Europeu antecipou negociações difíceis. Donald Tusk diz que agora é preciso minimizar os prejuízos para os cidadãos europeus e para as empresas.

  • "Não há recuo possível"
    2:30

    Brexit

    O processo de saída do Reino Unido da União Europeia começou esta quarta-feira, com a ativação do artigo 50.º do Tratado de Lisboa. A notificação de Theresa May foi feita por carta a Donald Tusk e a primeira-ministra disse que não recuo possível. O processo de negociações levará dois anos e a saída do Reino Unido da União Europeia ficará concluída em 2019.