sicnot

Perfil

Mundo

Ex-diretor da CIA demite-se de assessor de Trump

© / Reuters

O ex-diretor da Agência Central de Informações (CIA) James Woolsey anunciou esta sexta-feira a sua demissão de assessor do Presidente eleito dos EUA em plena controvérsia sobre a interferência russa nas eleições presidenciais norte-americanas.

"Realmente, não me estavam a convocar para as reuniões nem para o trabalho de transição", disse hoje Woolsey à cadeia televisiva Fox News, aludindo à sua qualidade de assessor de Donald Trump para assuntos de informações.

O porta-voz de Woolsey, Jonathan Sparks, emitira antes um comunicado em que informava que este antigo diretor da CIA, entre 1993-1995, durante a primeira Presidência de Bill Clinton, renunciava e desejava a melhor das sortes para Trump.

A renúncia de Woolsey acontece em plena controvérsia pelas acusações feitas pelo Governo de Barack Obama, apoiado pelos serviços de informações, à Federação Russa de ter feito ataques informáticos para favorecer Trump.

O Presidente eleito, Donald Trump, por seu lado, que se reuniu hoje com dirigentes dos serviços de informações, expressou o seu ceticismo com as conclusões de que teria sido beneficiado eleitoralmente por esta pirataria informática.

Como represália por tais ataques e pirataria, o Governo de Obama impôs na semana passada sanções diplomáticas e económicas à Federação Russa.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.