sicnot

Perfil

Mundo

Schwarzenegger arrasado por Trump, a "máquina das audiências"

"The Apprentice" 9 de julho de 2004

RIC FRANCIS / AP

Donald Trump arrasou hoje, no Twitter, o ator Arnold Schwarzenegger, atual apresentador do programa "The Celebrity Apprentice" que teve baixas audiências em comparação com "a máquina da audiometria", o próprio Donald J. Trump.

"Wow, as audiências chegaram e Arnold Schwarzenegger foi "submerso" (ou destruído) em comparação com a máquina das audiências, DJT."

Schwarzenegger não ficou calado. Em resposta, também no Twitter, o antigo governador da Califórnia desejou sucesso ao futuro Presidente dos EUA.

"Desejo-lhe muitoa sorte e espero que trabalhe para TODOS os americanos tão agressivamente como trabalhou para as suas audiências."

O primeiro episódio da oitava temporada do "reallity show" com o ator de origem austríaca de 69 anos foi para o ar na segunda-feira à noite. De facto, as audiências caíram, face à era Trump: 4,9 milhões de espectadores para o "Terminator" contra os 6,5 milhões que a "máquina das audiências" conseguiu no primeiro episódio da sua última temporada, há dois anos.

Donald Trump apresentou "The Apprentice" e "The Celebrity Apprentice" durante 14 temporadas.

Vai tomar posse como Presidente dos Estados Unidos a 20 de janeiro, numa cerimónia pública junto ao edifício do Capitólio, em Washington.

  • Novo regime dos recibos verdes "acaba com as injustiças dos escalões"
    1:10
  • Brinquedos tecnológicos para oferecer no Natal
    5:33
  • Aniversário de Marcelo passado nas comemorações dos 700 anos da Marinha
    1:45

    País

    O Presidente da República defende que é preciso continuar a investir na Armada, nas pessoas, nas capacidades e no apoio de retaguarda. No dia em que fez 69 anos, Marcelo Rebelo de Sousa esteve nas comemorações dos 700 da Marinha, onde sublinhou os sete séculos de conquistas e de combates navais.

  • Costa anuncia reunião sobre neutralidade carbónica em fevereiro
    2:03

    País

    O Presidente francês defende que é preciso ir mais longe e mais rápido na luta contra as alteração climáticas, numa resposta à decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris. Em fevereiro, será a vez de Portugal organizar uma reunião sobre energia e transportes.