sicnot

Perfil

Mundo

Tóquio chama embaixador em Seul devido a diferendo sobre "escravas sexuais"

Lee Jin-man

O Japão anunciou esta sexta-feira a retirada temporária do seu embaixador na Coreia do Sul para protestar contra a instalação de uma estátua em memória das escravas sexuais do exército nipónico à frente do seu consulado na cidade de Busan.

"O governo japonês considera essa situação extremamente lamentável", disse o porta-voz do governo, Yoshihide Suga, numa conferência de imprensa.

Também anunciou outras medidas, incluindo a suspensão das discussões económicas de alto nível.

"O governo japonês vai continuar a instar veementemente o governo da Coreia do Sul, assim como as autarquias envolvidas, a retirarem rapidamente a estátua da rapariga", disse Suga.

A estátua foi inicialmente removida depois de ter sido colocada por ativistas sul-coreanos na cidade portuária de Busan.

Mas as autoridades locais mudaram de ideias e autorizaram-na depois de a ministra da Defesa japonesa, Tomomi Inada, ter na semana passada visitado o santuário Yasukuni, em Tóquio, que a China e a Coreia do Sul condenam por homenagear os mortos da II Guerra Mundial e outros conflitos bélicos.

A questão das "mulheres de conforto" dificultou, durante décadas, as relações do Japão com os países que colonizou ou invadiu.

Estima-se que até 200 mil mulheres tenham sido forçadas a prestar serviços sexuais a tropas nipónicas, a maioria delas na China e na península coreana, entre os anos 30 do século passado e o final da II Guerra Mundial, que terminou em 1945.

O santuário Yasukuni, de 145 anos, lembra os cerca de 2,5 milhões de cidadãos que morreram na II Guerra Mundial e noutros conflitos bélicos.

É controverso porque entre os homenageados figuram criminosos de guerra, como o general Hideki Tojo, que autorizou o ataque contra Pearl Harbor.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.