sicnot

Perfil

Mundo

FBI investiga motivos do ataque em aeroporto na Florida

FBI investiga motivos do ataque em aeroporto na Florida

O FBI mantém todas as possibilidades em aberto na investigação ao tiroteio de ontem no aeroporto de Fort Lauderdale na Florida que fez cinco mortos e oito feridos. A hipótese de terrorismo não está descartada.

Em conferência de imprensa esta noite no aeroporto onde ocorreu o tiroteio em que morreram cinco pessoas, George Piro, do FBI em Miami, disse que não foi descartado que o incidente constitua um ataque terrorista e que se mantêm em aberto todas as possibilidades.

O responsável do FBI acrescentou que as autoridades estão a rever o historial militar do atacante identificado na conferência de imprensa como Esteban Santiago, o qual deverá comparecer na segunda-feira num tribunal do condado de Broward.

Piro afirmou que Santiago, um ex-militar de 26 anos que esteve destacado no Iraque, utilizou uma pistola semiautomática durante o tiroteio, depois do qual se entregou às autoridades sem oferecer resistência.

Pouco depois do tiroteio, e antes dos detalhes sobre a saúde mental de Santiago se terem tornado público, o senador Bill Nelson, da Flórida, disse que ainda não se sabia se foi terrorismo ou se a ação de "alguém que está mentalmente perturbado".

Pelo menos cinco pessoas morreram e oito ficaram feridas quando o indivíduo abriu fogo na tarde de setxa-feira na zona de recolha das bagagens no aeroporto.

A imprensa norte-americana informou que Esteban Santiago entrou em novembro num escritório do FBI em Anchorage (Alasca) e disse que escutava vozes que o instavam a alistar-se no Estado Islâmico (EI),incidente pelo qual recebeu tratamento psiquiátrico.

  • Atacantes de Barcelona "não estão a caminho da nossa fronteira"
    7:00

    Ataque em Barcelona

    O diretor da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária esteve esta sexta-feira no Jornal da Noite para falar sobre o duplo atentado em Espanha. Luís Neves diz que o nível de ameaça em Portugal, perante os ataques, não foi alterado porque "não se detectou que tenha existido informação que possa colocar o nosso território em perigo".