sicnot

Perfil

Mundo

Paquistão acaba com tribunais militares para terrorismo que emitiram 161 sentenças de morte

© Akhtar Soomro / Reuters

Os tribunais militares paquistaneses para casos de terrorismo chegaram hoje ao fim após expirar a emenda constitucional que estabeleceu a sua criação há dois anos, após emitir 274 sentenças, 161 delas de morte, e a execução de 12 condenados.

"Os tribunais militares chegam hoje ao fim e processos atuais vão ser transferidos para tribunais antiterroristas", disse à agência Efe o procurador-geral paquistanês, Ashtar Ausaf Ali.

Em 06 de janeiro de 2015, o parlamento paquistanês aprovou por maioria a 21.º emenda constitucional e a Lei do Exército do Paquistão 2015, que estabeleceu a criação por dois anos de tribunais militares especiais para casos de terrorismo.

A criação destas cortes foi uma das medidas ditadas pelo executivo depois do ataque talibã contra uma escola, ocorrido em dezembro de 2015 e que matou 125 estudantes na cidade de Peshawar, nas áreas tribais do noroeste do país.

Estes tribunais militares têm sido criticados por ativistas de direitos humanos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.