sicnot

Perfil

Mundo

Combates no Iémen causam pelo menos 68 mortos em dois dias

Hani Mohammed

Pelo menos 68 combatentes morreram em dois dias de combates entre as forças iemenitas e rebeldes Huthis (xiitas) perto do estreito de Bab al-Mandab, um ponto estratégico do Iémen, anunciaram fontes militares daquele país.

As forças governamentais lançaram uma ofensiva no sábado, reconquistando o distrito de Dhubab, uma zona costeira a apenas 30 quilómetros a norte de Bab al-Mandab, a língua de território que liga o Mar Vermelho ao Golfo de Adén (já no Oceano Índico).

Desde que começou essa ofensiva, pelo menos 55 rebeldes huthis foram mortos nos combates e 72 outros ficaram feridos, disseram fontes militares e médicas.

Do lado das forças lealistas morreram 13 militares, incluindo um general do exército.

Fontes militares adiantaram, entretanto, à agência France Presse que os combates prosseguem hoje, com as forças lealistas a tentar ganhar o controlo de uma base militar rebelde na região de Dhubab.

A base militar rebelde de Al-Omari situa-se numa região montanhosa sobranceira à estrada costeira que liga a região de Bab al-Mandab a Dhubab, e que também abre caminho a Hudaida, um porto no Mar Vermelho controlado pelos rebeldes.

Os rebeldes huthis, e os seus aliados (apoiados pelo Irão), lançaram hoje dois mísseis balísticos que foram intercetados pela coligação árabe, liderada pela Arábia Saudita, que apoia o governo do Iémen.

Fontes oficiais militares do Iémen realçaram que o avanço das suas tropas foi mais lento do que o esperado porque os rebeldes colocaram minas ao longo dos caminhos.

O governo iemenita e os seus aliados da coligação árabe reconquistaram o estreito de Bab al-Mandab em outubro de 2015, empurrando os rebeldes apoiados pelo Irão para Norte.

No entanto, os rebeldes ainda controlam quase toda a costa do Iémen no Mar Vermelho a norte do estreito, uma posição estratégica que a coligação árabe considera ser uma ameaça ao fluxo de navios internacionais naquelas águas.

Em setembro e outubro, dois navios de guerra norte-americanos e um outro navio dos Emirados Árabes Unidos ao serviço da coligação árabe aliada do governo iemenita foram visados por mísseis disparados a partir de território controlado pelos rebeldes.

Dhubab foi reconquistado por tropas pró-governamentais em outubro de 2015, mas os rebeldes voltaram a ganhar controlo sobre a zona em fevereiro de 2016.

De acordo com as Nações Unidas, o conflito no Iémen já fez mais de 7 mil mortos desde que, em março de 2015, a coligação árabe iniciou uma intervenção armada no país.

Lusa

  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC