sicnot

Perfil

Mundo

Bispos dizem que diálogo entre Governo e oposição venezuelana fracassou

© Marco Bello / Reuters

O processo de diálogo entre o Governo do Presidente Nicolás Maduro e a oposição fracassou, anunciou esta segunda-feira à imprensa em Caracas o presidente da Conferência Episcopal Venezuelana (CEV), Diego Padrón.

"Tenho de dizer que não estou seguro de que a mesa de diálogo vá continuar e, sobretudo, que não estou seguro de que o Vaticano ou a Santa Sé possa participar de novo na mesa de diálogo", disse Diego Padrón.

As declarações do presidente da CEV foram feitas no mesmo dia em que o papa Francisco pediu, durante um encontro com membros do corpo diplomático, no Vaticano, ao Presidente Nicolás Maduro e à oposição que apostem no diálogo nacional e procurem a paz.

Segundo o papa são necessários "caminhos de diálogo" e "gestos valentes" da parte dos venezuelanos para que as consequências da crise política, social e económica deixem de ser um peso para a população.

A próxima reunião da mesa de diálogo está prevista para o próximo dia 13, no entanto a aliança da oposição Mesa de Unidade Democrática (MUD) insiste que não estará presente, alegando falta de cumprimento dos acordos do lado do regime.

A 30 de outubro, o Governo e a oposição iniciaram um processo de diálogo, sob a mediação do Vaticano e da Unasul (União das Nações da América do Sul).

Dois dias depois, o parlamento, onde a oposição detém a maioria, adiou "por alguns dias", a pedido do Vaticano, um debate para determinar a "responsabilidade política" do Presidente Nicolas Maduro, acusado de "rutura da ordem constitucional" no país.

A 12 de novembro, o Governo e a oposição concordaram trabalhar em conjunto para recuperar a economia e combate a falta de segurança, tendo agendado nova reunião de diálogo para 06 de dezembro, na qual a MUD não participou devido à alegada falta de cumprimento dos acordos por parte do Governo de Nicolás Maduro.

Lusa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite