sicnot

Perfil

Mundo

Cônsul da embaixada russa em Atenas encontrado morto

© Eduard Korniyenko / Reuters

A polícia grega referiu esta segunda-feira que o chefe da seção consular da embaixada russa em Atenas foi encontrado morto no seu apartamento, mas sem fornecer indicações imediatas sobre as causas do falecimento.

Uma funcionária consular encontrou hoje o corpo já sem vida do cônsul Andrey Malanin, 54 anos, no seu apartamento situado na capital grega.

A polícia referiu que o corpo vai ser autopsiado, enquanto o departamento de homicídios também está a investigar a morte devido ao estatuto diplomático de Malanin.

No entanto, a polícia já indicou que o corpo não apresentava sinais visíveis de ferimentos, e excluiu que o apartamento tenha sido assaltado.

Em dezembro o embaixador da Rússia na Turquia, Andrei Karlov, foi assassinado por um oficial da polícia quando discursava na inauguração de uma exposição de fotografia em Ancara.

O assassino, abatido pelas forças de segurança turcas, matou o diplomata em protesto contra a intervenção russa na Síria, ao lado do regime do Presidente Bashar al-Assad.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".