sicnot

Perfil

Mundo

Parlamento venezuelano declara "abandono do cargo" de Nicolás Maduro

© Marco Bello / Reuters

O parlamento venezuelano, onde a oposição detém a maioria, chegou esta segunda-feira a um acordo para declarar o "abandono do cargo" do Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e exigir uma saída eleitoral para a crise político-económicado país.

O acordo foi conseguido durante a sessão ordinária de hoje, com os votos a favor de 106 dos 167 deputados do parlamento, com o Polo Patriótico a acusar aquele organismo de "usurpar funções" para o qual não está habilitado e com o Supremo Tribunal de Justiça a insistir que a Assembleia Nacional não está habilitada para demitir o Chefe de Estado.

"[Aprova o parlamento] declarar que Nicolás Maduro Moros, invocando o cargo de Presidente da República, tem incorrido em ações e omissões que situam o seu desempenho completamente à margem do desenho e funções constitucionais da Presidência da República, em virtude da grave rutura da ordem constitucional e democrática, da violação de direitos humanos, da devastação das bases económicas e sociais da nação e dos atentados à integridade da República, que tem levado a cabo", lê-se no texto do acordo.

Por outro lado, a Assembleia Nacional (AN) declara que, "em consequência e conformidade com a Constituição", o Chefe de Estado "abandonou o seu cargo", assim como "as funções constitucionais" que lhe são inerentes, "especialmente a obrigação de cumprir e fazer cumprir a ordem constitucional e as leis".

Para a AN, "a única forma de resolver os graves problemas que afetam o país e de conter o desmantelamento das instituições republicanas é devolver o poder ao povo da Venezuela e, portanto, pela convocatória para realizar eleições livres e plurais".

No documento, o parlamento ratifica o seu compromisso "com a restituição da ordem constitucional" que se produz "quando desde a Presidência da República se faz uso da autoridades civil e militar para minar a Constituição".

Por outro lado, "reitera a decisão de acudir às instâncias internacionais competentes para denunciar as violações dos direitos humanos e de elementos essenciais da democracia que sofrem os venezuelanos, em cuja comissão Nicolás Maduro tem tido um papel protagónico".

Segundo o órgão legislativo venezuelano, o chefe de Estado tem tentado impor o modelo castro-comunista no país, governa sob um estado de exceção sem aprovação do parlamento e ordena que sejam desacatados os pedidos de comparecência dos ministros a fim de declararem sob a gestão que realizam.

Considera ainda que a violação da liberdade de expressão e a não defesa do Ezequibo (território em reclamado perante a vizinha Guiana), são alguns dos motivos para declarar que o Presidente abandonou o cargo.

Por outro lado, responsabiliza o chefe de Estado pelas violações de direitos humanos, cometidas no contexto da repressão policial e da discriminação por razões políticas, por sentenças arbitrárias do Supremo Tribunal de Justiça e que se tem auto-facultado para aprovar contratos de interesse público com Estados e entidades estrangeiras.

Também por facilitar a corrupção e promover uma "ausência de separação de poderes" que "explica uma confabulação executivo-judicial constitutiva de um golpe de Estado" e que a falta de incumprimento das suas funções levou a uma inflação de mais de 500% em 2016, uma depressão da economia refletida na queda de 12% do PIB e numa grave escassez de alimentos e medicamentos, entre outros problemas.

Lusa

  • Quem deve ser o próximo treinador do FC Porto?

    Desporto

    Nuno Espírito Santo já não é treinador do FC Porto. O técnico e o clube chegaram a acordo mútuo para a rescisão do contrato, que o ligava por mais uma temporada aos dragões. Nuno Pinto da Costa tem agora que encontrar um novo treinador para orientar dos "dragões". Os nomes em cima da mesa são vários. Diga-nos quem deve ser o novo treinador do FC Porto.

  • Os treinadores do FC Porto desde o último título 

    Desporto

    Nunca o FC Porto esteve quatro anos consecutivos sem ganhar um título durante a presidência de Nuno Pinto da Costa. A ausência de vitórias teve início na época de 2013/14, quando começou uma autêntica dança de treinadores.

  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • Divulgado vídeo dos bambardeamentos contra o Daesh no Iraque
    0:42
  • Leão-marinho arrasta criança de doca em Vancouver
    0:51

    Mundo

    O momento em que um leão-marinho arrasta uma menina para a água foi gravado e publicado na internet. Sem nada que fizesse prever, o animal puxou a criança que estava sentada numa doca em Vancouver, no Canadá. A criança foi resgatada de imediato por um familiar e apesar do susto não sofreu ferimentos. O momento de aflição foi testemunhado por vários turistas.