sicnot

Perfil

Mundo

Autoridades de Roma e Madrid desmantelam rede de droga italiana

Um rede de narcotraficantes que fazia chegar cocaína a Itália foi desmantelada pelas autoridades de Roma, numa operação que contou com o envolvimento da Polícia Nacional Espanhola.

De acordo com um comunicado da polícia italiana, a operação "Buena Ventura" levou à detenção de várias pessoas em diferentes regiões de Itália, sendo que as investigações ainda continuam em Reggio, Calabria, Milão, Nápoles, Bolonia e Pescara.

Entre os detidos contam-se alguns elementos ligados à família Morabito-Bruzzanti-Palmara que compõem a Ndrangheta, a máfia calabresa.

Segundo os dados da polícia italiana, há 19 ordens de detenção e foram ainda emitidas medidas cautelares a 18 indivíduos por alegado delito de tráfico internacional de estupefacientes.

Além das ações policiais em Itália, a operação de desmantelamento da rede decorreu também no aeroporto de Barajas, em Madrid, e que impediu o descarregamento de 35 quilogramas de cocaína procedente da Colômbia.

A rede operava entre Itália, Colômbia, Peru, República Dominicana e Espanha, segundo os dados que foram difundidos pelas autoridades de Roma.

O comunicado policial assinala também que a operação "demonstra a força e a capacidade dos cartéis calabreses na relação com os narcotraficantes colombianos no tráfico de grandes quantidades de cocaína destinadas à Europa".

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.