sicnot

Perfil

Mundo

Ex-presidente da Alemanha Roman Herzog morre aos 82 anos

Daniel Naupold

O ex-presidente alemão Roman Herzog, que promoveu a reforma económica da Alemanha nos anos 1990 e insistiu na importância de lembrar o Holocausto, morreu aos 82 anos.

O atual presidente, Joachim Gauck, anunciou esta terça-feira a morte, sem dar pormenores.

Numa mensagem à viúva de Herzog, o presidente descreveu o ex-chefe de Estado como "uma personalidade distinta" que "defendia a prontidão para a reforma e ao mesmo tempo a preservação do que já fora tentado e testado".

Antes de ser eleito presidente, em 1994, quatro anos após a reunificação da Alemanha, Herzog foi juiz presidente do mais alto tribunal do país.

Foi um dos primeiros líderes a abordar a resistência da Alemanha à reforma e a crescente estagnação económica no final dos 16 anos de mandato do chanceler Helmut Kohl.

Nessa altura, a Alemanha tinha taxas de desemprego de dois dígitos e o seu mercado de trabalho era considerado demasiado inflexível.

Lusa

  • Troika nem sempre protegeu os mais vulneráveis, conclui avaliação do FMI

    Economia

    O organismo de avaliação independente do FMI concluiu que as medidas aplicadas pela troika em Portugal nem sempre protegeram as pessoas com menos rendimentos, apontando que a primeira preocupação do Fundo era a redução dos défices, apurou o gabinete independente de avaliação do Fundo Monetário Internacional (FMI),

  • "A maioria das pessoas que criticou André Ventura nunca viveu esses problemas"
    3:43

    Opinião

    A polémica em torno das declarações do candidato do PSD à Câmara de Loures, André Ventura, sobre o modo de vida da etnia cigana no concelho, esteve em análise no Jornal da Noite desta segunda-feira. Miguel Sousa Tavares defende que "os problemas existem mas não podem ser generalizados". O comentador SIC considera, ainda assim, que André Ventura tem razão quando diz que "a maioria das pessoas que o criticou nunca viveu esses problemas".

    Miguel Sousa Tavares