sicnot

Perfil

Mundo

Secretário-geral da ONU quer nova abordagem para prevenir conflitos

© Stephanie Keith / Reuters

O novo secretário-geral da ONU, António Guterres, defendeu esta terça-feira "uma nova abordagem" para prevenir as guerras, na primeira intervenção perante o Conselho de Segurança, depois de assumido o cargo no passado dia 01.

Guterres sucedeu ao sul-coreano Ban Ki-moon prometendo fazer evoluir a organização internacional e redobrar os esforços para resolver as crises mundiais.

A ONU deve prestar muita mais atenção à prevenção de conflitos e à mediação, disse Guterres, adiantando ter começado já a estimular reformas nesse sentido, a começar pelo processo de tomada de decisões na secretaria-geral, com a criação de uma nova comissão executiva e uma assessora especial para assuntos políticos.

"Devemos reequilibrar o nosso foco sobre a paz e segurança. Durante décadas esteve dominado pela resposta ao conflito. Para o futuro, devemos fazer muito mais para prevenir a guerra e manter a paz", afirmou.

Para o secretário-geral, a prevenção de conflitos deve ser a prioridade máxima da ONU e pediu que 2017 seja um ano "para a paz".

"Perderam-se demasiadas oportunidades de prevenção porque os Estados-membros desconfiam dos motivos dos outros e por preocupações relacionadas com a soberania nacional", garantiu Guterres, que disse compreender estes receios devido ao desequilíbrio de poder no mundo e o "uso seletivo" feito no passado de certos princípios.

A prevenção de conflitos nunca pode ser usada para fins políticos, nem com "dois pesos e duas medidas", insistiu o diplomata português.

"Mas isso não significa que não existam regras. A ação preventiva é essencial para evitar atrocidades em massa ou violações graves dos direitos humanos", sublinhou.

Nesse sentido, Guterres pediu ao Conselho de Segurança para atuar aos primeiros sinais de alarme de um possível conflito e lembrou os enormes custos de ignorar estes sinais.

O discurso do secretário-geral da ONU abriu um debate, no qual estão previstas mais de 90 intervenções, incluindo as de vários chefes de diplomacia.

Lusa

  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.