sicnot

Perfil

Mundo

Moscovo nega ter informações comprometedoras sobre Donald Trump

© Jonathan Ernst / Reuters

A Rússia não tem "dossiês comprometedores" sobre o Presidente eleito dos Estados Unidos afirmou hoje o Kremlin, qualificando as acusações dos serviços secretos dos EUA "completamente falsas e absolutamente disparatadas". Trump qualifica as notícias de "caça às bruxas política".

"O Kremlin não tem 'kompromat' [termo russo para material comprometedor sobre políticos ou outras figuras públicas]", declarou aos jornalistas o porta-voz do Kremlin Dmitri Peskov.

Vários órgãos de comunicação social norte-americanos revelaram na terça-feira a existência de um documento de 35 páginas com informações sobre Donald Trump, nomeadamente um vídeo sexual filmado clandestinamente durante uma visita a Moscovo em 2013.

O documento foi redigido por um antigo agente de contra-espionagem britânica considerado credível pelos serviços secretos norte-americanos, avança a agência France Press. A existência deste documento não foi reconhecida pelas autoridades.

Depois da publicação destas notícias, Donald Trump afirmou, na rede social Twitter: "Notícias falsas - uma caça às bruxas política!"

De acordo com a CNN e o New York Times, entre outros, os chefes dos serviços secretos norte-americanos apresentaram ao Presidente eleito um resumo de duas páginas deste documento russo. Nesse relatório falavam ainda das operações russas de pirataria informática e contra-informação.

  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".