sicnot

Perfil

Mundo

Bolívia vai exportar mate de coca para a Venezuela e Europa

O Presidente da Bolívia, Evo Morales, anunciou esta sexta-feira que vai iniciar a exportação legal de 'mate' e derivados da coca para a Venezuela, para o Equador e para a Bolívia e prevê exportar também para a Europa.

"Assinámos um acordo para exportar 'mate' de coca, derivados de coca, com fins benéficos para a humanidade para o Equador e vamos exportar para a Venezuela, para o Paraguai e temos também planos para exportar para a Europa", disse, durante uma conferência de imprensa em La Paz.

O 'mate' é uma bebida social de vários países da América Latina, que se coloca num recipiente especial e se toma com uma palhinha, sendo tomado em conjunto por várias pessoas. Além do 'mate' a folha é também usada para mastigar, fazer chás e rituais religiosos.

Segundo a imprensa boliviana, Evo Morales não precisou quando quais os tipos de derivados da coca que vão ser exportados, nem o que fará a Bolívia com relação à Convenção das Nações Unidas sobre Drogas, de 1961, que proíbe a exportação de folhas de coca no estado natural.

Fontes não oficiais dão conta que a Bolívia produz mais de 20.000 hectares anuais de coca, estando em terceiro lugar como produtor mundial, detrás da Colômbia e do Peru.

Também que a produção boliviana é superior ao consumo interno de coca.

Lusa

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC