sicnot

Perfil

Mundo

Trump cometerá "pura loucura" se apostar na fragmentação da UE

© Mike Segar / Reuters

O embaixador norte-americano cessante junto da União Europeia (UE), Anthony Gardner, considerou esta sexta-feira que a futura administração de Donald Trump cometerá uma "pura loucura" caso aposte, como parece pretender fazê-lo, numa fragmentação da UE.

"Seria uma pura loucura pensar que ao apoiar uma fragmentação da Europa estaremos a defender os nossos interesses", declarou Anthony Gardner durante um encontro com os jornalistas, a uma semana da sua partida de Bruxelas.

O diplomata disse ter sido informado de diversos telefonemas efetuados por membros da equipa de transição de Donald Trump para instituições europeias, pretendendo saber se a saída do Reino Unido da UE implicaria mais abandonos.

"Foi uma das questões que se colocou, qual seria o próximo país a partir, e que é uma forma de sugerir que o edifício está prestes a desabar", referiu o número um da embaixada dos Estados Unidos junto da UE nos últimos três anos.

"É uma perceção que Nigel Farage (antigo líder do partido nacionalista britânico UKIP) está aparentemente em vias de transmitir a Washington. Trata-se de uma caricatura", acrescentou, numa referência ao eurodeputado britânico que liderou a campanha pelo Brexit, e que foi recebido por Donald Trump pouco após a sua vitória eleitoral de novembro.

Anthony Gardner, antigo responsável do Banco da América e da General Electric em Londres, designado embaixador por Barack Obama, recordou que os EUA apoiam desde há 50 anos a integração da UE, porque beneficia os dois blocos em diversos aspetos (político, económico, securitário).

A administração Trump vai efetuar "uma abordagem errada" caso mantenha unicamente as suas relações com os grandes países definidos como os melhores amigos, caso do Reino Unido ou Alemanha, partindo do "falso" princípio que a UE não é eficaz, assinalou ainda o diplomata norte-americano.

Lusa

  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.