sicnot

Perfil

Mundo

300 marines norte-americanos chegam à Noruega mesmo contra a vontade russa

Cerca de 300 fuzileiros navais norte-americanos ('marines') chegaram esta segunda-feira à Noruega, uma mobilização em rotação que a Rússia já condenou e que surge num momento de tensão por causa de exercícios da NATO no Báltico.

As tropas norte-americanas chegaram, com armas e bagagens, ao aeroporto de Vaernes - perto da cidade de Trondheim - provenientes dos aquartelamentos dos 'marines' na Carolina do Norte. A Noruega - membro da NATO - anunciou em outubro que tinha aceitado um pedido dos Estados Unidos para estacionar tropas no seu território.

A mobilização de 'marines' - feita por rotação, para não agravar a tensão com Moscovo - foi apresentada como um teste de um ano no sentido de permitir aos fuzileiros treinar e fazer exercícios com o exército norueguês em condições climatéricas adversas.

No entanto, a iniciativa motivou à mesma a condenação por parte da Rússia. "De certeza que isto não vai melhorar a situação de segurança na Europa do Norte", indicou um porta-voz da embaixada russa em Oslo, Maxim Gurov, numa resposta enviada em outubro à agência France Presse.

As relações entre a Rússia e o Ocidente estão tensas desde há mais de dois anos, primeiro devido à intervenção russa na Crimeia e na Ucrânia e depois na Síria (onde apoia o regime de Bashar al-Assad).

Na semana passada, a NATO enviou milhares de tropas norte-americanas (bem como dezenas de carros de combate e centenas de veículos blindados) para a Polónia no âmbito de um dos maiores exercícios desde a Guerra Fria.

A operação vai estender-se também a outros países do Báltico, como a Lituânia e a Estónia.Antes de se juntar à NATO em 1949, a Noruega aplacou os receios russos ao comprometer-se a não abrir o seu território a tropas de combate estrangeiras "desde que não estivesse sob ataque ou ameaça de ataque".

O governo norueguês argumenta que os exercícios de tropas da NATO no seu território - que ocorrem com regularidade - e a mobilização por rotação não põem em causa esse princípio, o que aconteceria com uma base permanente dos Estados Unidos.

Até agora, os Estados Unidos têm material militar distribuído por túneis escavados nas montanhas da Noruega, mas nada de tropas de combate.

Lusa

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59