sicnot

Perfil

Mundo

Assassino de embaixador turco enterrado em campa anónima em Ancara

© Maxim Shemetov / Reuters

Mevlüt Mert Altintas, o assassino do embaixador russo em Ancara, foi esta segunda-feira enterrado numa campa anónima na capital turca, noticiou a agência pró-governamental Anadolu.

Sob as objetivas das câmaras, Altintas, um agente da polícia turca de 22 anos, matou a 19 de dezembro, com nove balas, o embaixador Andrei Karlov, durante a inauguração de uma exposição.

O agente, vestido com um fato preto, foi imediatamente abatido pelas forças de segurança, depois de ter gritado "Allah Akbar" ("Deus é grande") e afirmado querer vingar a cidade síria de Alepo.

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, relacionou o assassino à rede do religioso fundamentalista Fethullah Gulen, a quem atribuiu o golpe de Estado falhado de 15 de julho passado.

De acordo com a Anadolu, o corpo do jovem agente foi entregue aos serviços municipais de Ancara, uma vez que ninguém o reclamou após o prazo legal de duas semanas.

O embaixador russo foi enterrado, depois de uma homenagem nacional, no final de dezembro, num cemitério a norte de Moscovo. Em Ancara, a rua onde se situa a embaixada russa foi rebatizada com o nome do embaixador, numa cerimónia a 10 de janeiro.

Este homicídio ocorreu em plena fase de estreitamento das relações entre Ancara e Moscovo, que denunciaram "uma provocação" destinada a sabotar a cooperação bilateral.

Lusa

  • DIRETO: Portuguesa entre os 14 mortos dos atentados na Catalunha

    Ataque em Barcelona

    Uma das 13 vítimas mortais do atentado de ontem em Barcelona é portuguesa e há uma outra portuguesa desaparecida. Entretanto, uma pessoa morreu e cinco suspeitos foram abatidos num segundo ataque esta madrugada em Cambrils. As buscas centram-se num nome: Moussa Oukabir. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • O momento em que os suspeitos foram abatidos em Cambrils
    2:35
  • Driss Oukabir: suspeito do atentado ou vítima de roubo de identidade?
    2:40

    Ataque em Barcelona

    Um dos dois suspeitos, do ataque nas Ramblas, detidos pela polícia foi inicialmente identificado como Driss Oukabir, um homem de 28 anos. Mais tarde, um homem com o mesmo nome apresentou-se numa esquadra em Girona, a mais de 100 quilómetros do local do atropelamento afirmando que lhe tinha sido roubada a identificação. De acordo com alguma imprensa espanhola, poderá ter sido o irmão, Moussa Oukabir, um jovem de 18 anos que vive em Barcelona, como explicou também Nuno Rogeiro, comentador da SIC.

  • "O abandono provoca incêndios desta dimensão"
    0:55

    País

    O antigo vereador da Câmara de Mação José Silva acredita que a desertificação do interior também é, em parte, responsável pelos incêndios. Segundo José Silva, Mação tem cada vez menos habitantes e é por essa razão que os terrenos são deixados ao abandono.

  • Mação perdeu 80% da área florestal
    3:39
  • Ágata candidata-se à Câmara de Castanheira de Pera
    3:42