sicnot

Perfil

Mundo

Número de civis mortos em dois anos de conflito no Iémen atingiu os dez mil

© Naif Rahma / Reuters

O responsável da ajuda humanitária das Nações Unidas no Iémen disse esta segunda-feira que o número de civis mortos em quase dois anos de conflito no país atingiu os 10.000, a que se somam 40.000 outros feridos.

Jamie McGoldrick, do Serviço para a Coordenação dos Assuntos Humanitários (OCHA), notou, em declarações aos jornalistas, que os dados se baseiam em listas de vítimas recolhidas por estabelecimentos de saúde, pelo que o número real pode ser maior. O conflito no Iémen, a nação mais pobre do mundo árabe, opõe os rebeldes xiitas 'huthis' e forças aliadas a uma coligação internacional liderada por sauditas.

A coligação iniciou uma campanha aérea em março de 2015 para restabelecer o governo reconhecido internacional e que abandonou o país depois de os 'huthis' terem ocupado a capital, Sanaa. As declarações de McGoldrick ocorreram quando o enviado especial da ONU para o Iémen, Ismail Ould Cheikh Ahmed, chegou a Aden (segunda cidade do país, no sul), que o governo de Abdrabuh Mansur Hadi transformou numa capital temporária.

Segundo responsáveis iemenitas, Ahmed vai apresentar um acordo de paz corrigido a Hadi, que rejeitou a última versão. Os esforços de paz encontram-se num impasse. Hadi tem pressionado para a aprovação de uma resolução do Conselho de Segurança que obrigue os 'huthis' a retirarem de todas as cidades e a entregarem as armas, enquanto os rebeldes xiitas pretendem a partilha do poder para desistirem de território e das armas.

  • A proposta dos partidos para a redução da dívida
    1:55

    Economia

    O PS e o Bloco de Esquerda querem mais 45 anos para pagar as dívidas à UE e juros mais baixos. As medidas fazem parte da proposta para a redução da dívida pública. No relatório que será enviado ao Governo, não é pedido perdão da dívida como os partidos da esquerda chegaram a defender.

  • Ministros de Governos de Sócrates ouvidos pelo Ministério Público
    1:54
  • Suspeito de atropelamento mortal fala de acidente 
    2:00
  • "Têm um verdadeiro amigo na Casa Branca"

    Mundo

    O Presidente norte-americano reafirmou esta sexta-feira o apoio ao direito de porte de armas no país, sublinhando, numa convenção daquele 'lobby', que "o ataque de oito anos às liberdades consagradas no Artigo 2.º [da Constituição]" terminou.

  • A história de Macron e Brigitte Trogneux, 25 anos mais velha
    1:25

    Eleições França 2017

    A segunda volta das eleições francesas acontece já no próximo dia 7 de maio. Caso Emmanuel Macron seja eleito, o país terá como primeira-dama uma mulher 25 anos mais velha do que o Presidente. Brigitte Trogneux tem 64 anos e Macron 39, conheceram-se no liceu privado de jesuítas, em Amiens. Brigitte era a professora e Macron o aluno. Conheça a história do casal. 

  • Autoridades garantem ter evitado novo ataque terrorista em Londres
    0:59

    Mundo

    A polícia britânica garante que evitou um novo atentado em Londres. Mulher baleada faz parte das oito pessoas que foram detidas numa operação antiterrorista na capital britânica e no sul de Inglaterra. A operação realizou-se após a detenção de um homem com três facas, nas imediações do Parlamento britânico.

  • Presidente da Macedónia convocou reunião de emergência

    Mundo

    O Presidente da Macedónia, Gjorge Ivanov, convocou esta sexta-feira uma reunião de emergência com líderes políticos, após manifestantes, maioritariamente apoiantes da maioria conservadora, invadirem o Parlamento e atacarem deputados da oposição, fazendo 77 feridos.

  • Polícia espanhola divulga imagens de operação anti-jihadista

    Mundo

    A polícia espanhola divulgou esta sexta-feira novas imagens da operação anti-jihadista levada a cabo na terça-feira em Barcelona. Sabe-se agora que dois dos nove suspeitos detidos podem estar relacionados com a célula terrorista de Bruxelas, responsável pelos ataques no Aeroporto de Zaventem e no metro da capital belga.

  • Menina que nasceu com três pernas já corre

    Mundo

    Uma criança do Bangladesh que cresceu com três pernas vai regressar a casa, depois de uma viagem até à Austrália, onde foi operada para retirar o membro a mais. Como resultado de um gémeo que não se formou por completo, a criança de três anos nasceu com uma terceira perna na pélvis. Alguns meses após a cirurgia, feita em novembro, a menina já corre.