sicnot

Perfil

Mundo

Popularidade de Trump é a mais baixa de um Presidente em 40 anos

Andrew Harnik

Duas sondagens publicadas esta terça-feira colocam Donald Trump como o mais impopular Presidente eleito dos Estados Unidos nos dias que antecedem a tomada de posse, apesar de ter convencido a maioria dos norte-americanos da sua capacidade para criar empregos.

Desde que foi eleito, em novembro, várias grandes empresas anunciaram a abertura de fábricas ou a criação de milhares de empregos em território norte-americano: Carrier, Ford, Fiat-Chrysler, General-Motors, SoftBank/Sprint, Wal-Mart e Amazon.

Numa sondagem publicada esta terça-feira pela CNN, 61% dos inquiridos consideram provável que Trump consiga criar emprego nas regiões mais necessitadas. Noutro estudo, publicado pelo Washington Post -- ABC News, 60% dos inquiridos espera que o novo Presidente faça um bom trabalho em matéria económica.Mas, em termos mais gerais, os inquiridos manifestam desconfiança em relação ao exercício do poder pelo sucessor de Barack Obama.

Com 40% de opiniões favoráveis, Donald Trump está cerca de 20 pontos percentuais abaixo dos três últimos antecessores e 44 pontos percentuais abaixo de Obama, quando este se preparava passa assumir o cargo, em 2009.

Obama tinha então uma taxa de aprovação de 84%, Bill Clinton, em 1992, tinha 67%, e George W. Bush, em 2001, 61%, segundo a CNN.Os 40% de opiniões favoráveis, contra 54% de desfavoráveis, tornam-no o mais impopular desde pelo menos Jimmy Carter, que iniciou funções em 1977.

Questionados, para a sondagem CNN/ORC, sobre se estão confiantes de que Trump vai tomar as decisões corretas para o futuro do país, 38% dizem ter bastante ou muita confiança e 61% alguma ou nenhuma confiança.

Donald Trump reagiu a estes estudos no Twitter, afirmando: "As mesmas pessoas que fizeram sondagens falsas nas eleições, e que estavam tão erradas, fazem agora sondagens de popularidade. Estão falsificadas, como antes".

Lusa

  • Mais de 50 concelhos do país em risco máximo de incêndio

    País

    Mais de meia centena de concelhos de dez distritos do país estão hoje em risco 'máximo' de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). De acordo com o IPMA, estão sob este aviso 51 concelhos dos distritos de Castelo Branco, Faro, Portalegre, Santarém, Coimbra, Leiria, Guarda, Vila Real, Viseu e Bragança.

  • "Ao contrário do que diz a direita, o futuro dos jovens é aqui"
    0:52

    Economia

    António Costa atacou esta sexta-feira à noite a direita com o aumento do emprego jovem. Perante vários jovens no acampamento nacional da Juventude Socialista, o secretário-geral do PS dirigiu-se ainda aos partidos de direita para garantir que o aumento do salário mínimo está a criar mais emprego com maior qualidade.

  • Uma viagem aérea por Pegões
    1:00
    Visão de Portugal

    Visão de Portugal

    DIARIAMENTE NO JORNAL DA NOITE

    O espaço Visão de Portugal, do Jornal da Noite da SIC, mostra o país através de imagens aéreas. A rubrica leva-nos esta sexta-feira a sobrevoar Pegões, no concelho de Tomar. 

  • Porto eleito pela terceira vez o melhor destino europeu 
    2:53

    País

    O Porto foi eleito o melhor destino europeu pela terceira vez e as distinções internacionais não param de chegar. Desta vez os elogios chegam através da norte-americana CNN. Os preços acessíveis, a gastronomia, a história e a arquitetura são os pontos da cidade que tem a rua com maior tráfego do país. 

  • Lisboa é o terceiro melhor destino de cruzeiros
    1:22

    País

    O Turismo em Lisboa tem registado um crescimento. A cultura, a arte e os preços baixos são os pontos fortes apontados pelos turistas. A capital é já considerada o terceiro melhor destino de cruzeiros. O novo terminal do porto de Lisboa e a ligação direta a Pequim deverão aumentar ainda mais o número de visitantes.

  • Ir ao Minho e a Sintra
    22:50
  • Líder da Palestina hospitalizado

    Mundo

    O Presidente palestiniano, Mahmud Abbas, de 82 anos, foi hospitalizado este sábado em Ramallah, na Cisjordânia, para se submeter a um "exame de rotina" durante algumas horas, anunciou um porta-voz.