sicnot

Perfil

Mundo

Primeira volta da eleição para presidente do Parlamento Europeu inconclusiva

© Christian Hartmann / Reuters

O italiano Antonio Tajani (PPE) reuniu hoje o maior número de votos na primeira volta da eleição para presidente do Parlamento Europeu, mas sem maioria absoluta, pelo que se realizará uma segunda volta, anunciou o ainda presidente Martin Schulz.

Tajani, que pertence à família de centro-direita do Partido Popular Europeu (de PSD e CDS-PP) teve 274 votos, contra 183 do outro principal candidato, o seu compatriota socialista Gianni Pittella (S&D, grupo ao qual pertence o PS), na primeira volta da eleição para presidente do Parlamento Europeu, que tem hoje lugar no hemiciclo de Estrasburgo, em França.Com 718 dos 751 eurodeputados a participarem na votação, havendo 35 votos inválidos e 683 válidos, eram necessários 342 votos para a maioria absoluta.

Entre os restantes candidatos, a belga Helga Stevens (Conservadores e Reformistas Europeus) reuniu 77 votos, a britânica Jean Lambert (Verdes/Aliança Livre Europeia) 56, a italiana Eleonora Forenza, membro da comissão executiva da Esquerda Unitária Europeia/Esquerda Nórdica Verde (GUE/NGL), 50 votos, e o romeno Laureniu Rebega (Europa das Nações e da Liberdade) 43.

Os seis candidatos que se apresentam a votos na primeira volta confirmaram que participarão na segunda. Hoje de manhã, o candidato belga Guy Verhofstadt (Aliança dos Democratas e Liberais pela Europa - ALDE) abdicou da corrida, a favor de Tajani.

A segunda volta realizar-se-á ao início da tarde, devendo o resultado ser conhecido às 15:00 locais (14:00 de Lisboa), e se continuar a não haver um candidato que consiga maioria absoluta terá lugar uma terceira volta (com resultado previsto para as 19:00 locais) e, eventualmente, uma quarta (às 21:00), esta última apenas com os dois candidatos mais votados

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John Mccain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06
  • Menos casos de sida em Portugal
    1:44