sicnot

Perfil

Mundo

Primeiro-ministro canadiano investigado por férias em ilha de Aga Khan

© Chris Wattie / Reuters

O primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, está a ser investigado pela Comissária de Conflitos de Interesse e Éticos do Parlamento, por ter passado férias na ilha privada de Aga Khan, nas Caraíbas.

É a primeira vez que a Comissária de Conflitos de Interesse e Ético, cujo cargo foi criado em 2007, investiga um primeiro-ministro canadiano.

A investigação foi confirmada esta terça-feira pela própria (Mary Dawson) numa carta enviada a um deputado da oposição, que a semana passada tinha advertido que Justin Trudeau poderia ter violado a Lei de Conflitos de Interesse.

Mary Dawson investiga se o uso por parte do primeiro-ministro do helicóptero privado de Aga Khan para voar para a ilha violou as leis canadianas, que impedem os membros do Governo de utilizar aviões privados.

A comissária vai também analisar se as férias na ilha de Aga Khan podem ser uma "prenda" para o primeiro-ministro canadiano.

Segundo as leis canadianas, os membros do Governo e os deputados ou os seus familiares não podem aceitar prendas que possam "influenciar" as suas decisões.

A fundação Aga Khan, que em 2014 inaugurou em Toronto o Museu Aga Khan e o Centro Ismaelita, recebe fundos do Governo canadiano.

Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.