sicnot

Perfil

Mundo

Trump diz que não gosta de usar o Twitter, mas tem de "contrariar" imprensa "desonesta"

O Presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou esta quarta-feira que continuará a usar a rede social Twitter a partir da Casa Branca, o que alegou ser a sua única forma de "contrariar" a imprensa "desonesta".

"Não gosto de "tuítar". Há outras coisas que podia estar a fazer", disse Trump, numa entrevista à cadeia conservadora Fox.

Mas Trump, que assumirá a Presidência dos Estados Unidos na próxima sexta-feira, defendeu que tem, perante si, meios de comunicação "muito desonestos" e que o Twitter é a "única maneira" de "contrariar" a imprensa.

Já na campanha eleitoral, Trump utilizou a sua conta no Twitter para fazer anúncios, criticar a imprensa ou atacar os seus adversários.

Esta quarta-feira, o Presidente eleito acusou, numa série de "tuítes", a cadeia NBC de ser "totalmente tendenciosa" por não relacionar os anúncios de empresas como a Ford ou a GM de criar novos empregos nos EUA com a pressão que Trump fez para que essas companhias invistam no país.

"Perguntem aos principais executivos dessas empresas por factos reais. Voltaram (a investir) por minha causa", sublinhou, numa mensagem no Twitter.
Durante a entrevista à Fox, Trump foi questionado sobre a decisão de meia centena de congressistas democratas de não participar na cerimónia de posse, esta sexta-feira, em protesto pelas suas políticas exclusivas e as críticas ao ícone dos direitos civis John Lewis, legislador deste partido.

Sobre essas ausências, Trump disse não estar preocupado porque necessitam "desesperadamente" de lugares para outros convidados.

O magnata acrescentou ainda que muitas das celebridades que disseram que não irão à sua posse "nunca foram convidadas". "Não quero as celebridades, quero o povo", salientou.

Com Lusa

  • Atrás das Câmaras em Mirandela
    2:36

    Atrás das Câmaras

    A SIC está a percorrer o pais para ouvir as historias dos municípios e dos eleitores. Até às autárquicas, o programa opinião pública dá lugar ao Atrás das Câmaras, que hoje está em Mirandela, no distrito de Bragança, como conta a repórter Catarina Lázaro.

    Hoje na SIC e SIC Notícias

  • Ambiente e direitos humanos dominam discurso de Costa na ONU
    2:03
  • "Não é possível fazer tudo ao mesmo tempo"
    0:39

    Orçamento do Estado 2018

    O deputado e economista do PS Paulo Trigo Pereira defende que o desagravamento fiscal que o Governo quer pôr em marcha é "moderado". Em entrevista ao Público e à Renascença, o socialista diz que é preciso realismo e que é uma "alquimia" mexer ao mesmo tempo nas carreiras, pensões e rendimentos dos trabalhadores.

  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15