sicnot

Perfil

Mundo

Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

Shepard Fairey

Nos três novos posters aparecem muçulmanos, latinos e mulheres afro-americanas. Fairey aliou-se aos artistas Jessica Sabogal e Ernesto Yerena e juntos criaram os posters para a campanha We The People.

"Pensámos que estes três grupos foram os mais criticados por Trump e talvez serão os mais negligenciados durante a administação do Presidente eleito", Shepard Fairey disse à CNN.

Shepard Fairey

"Esta campanha serve para mostrar às pessoas que 'we the people' (nós as pessoas, em português) significada toda a gente", Fairey defendeu.

O objetivo da campanha é invadir Washington com símbolos de esperança no dia 20 de janeiro, a tomada de posse de Donald Trump. Os organizadores esperam ainda que estes posters ajudem na luta contra o "ódio, o medo e o racismo".

O projeto "We The People" foi colocado no kickstarter - o maior site de financiamento coletivo do mundo -, esperando arrecadar 60 mil dólares (cerca de 56 mil euros) para espalhar os cartazes pelos Estados Unidos da América. Contudo, até ao momento, a organização já conseguiu arrecadar mais de 1.3 milhões de dólares (cerca de 1.2 milhões de euros).

"A 20 de janeiro, se a campanha for bem-sucedida, vamos tirar anúncios de página inteira no Washington Post com estas imagens, de modo a que os norte-americanos em todo o país possem levá-las para as ruas, colocá-las nas janelas ou até colá-las nas paredes."

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John Mccain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06
  • Menos casos de sida em Portugal
    1:44