sicnot

Perfil

Mundo

Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

Shepard Fairey

Nos três novos posters aparecem muçulmanos, latinos e mulheres afro-americanas. Fairey aliou-se aos artistas Jessica Sabogal e Ernesto Yerena e juntos criaram os posters para a campanha We The People.

"Pensámos que estes três grupos foram os mais criticados por Trump e talvez serão os mais negligenciados durante a administação do Presidente eleito", Shepard Fairey disse à CNN.

Shepard Fairey

"Esta campanha serve para mostrar às pessoas que 'we the people' (nós as pessoas, em português) significada toda a gente", Fairey defendeu.

O objetivo da campanha é invadir Washington com símbolos de esperança no dia 20 de janeiro, a tomada de posse de Donald Trump. Os organizadores esperam ainda que estes posters ajudem na luta contra o "ódio, o medo e o racismo".

O projeto "We The People" foi colocado no kickstarter - o maior site de financiamento coletivo do mundo -, esperando arrecadar 60 mil dólares (cerca de 56 mil euros) para espalhar os cartazes pelos Estados Unidos da América. Contudo, até ao momento, a organização já conseguiu arrecadar mais de 1.3 milhões de dólares (cerca de 1.2 milhões de euros).

"A 20 de janeiro, se a campanha for bem-sucedida, vamos tirar anúncios de página inteira no Washington Post com estas imagens, de modo a que os norte-americanos em todo o país possem levá-las para as ruas, colocá-las nas janelas ou até colá-las nas paredes."

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.