sicnot

Perfil

Mundo

Papa pede a Trump que se "preocupe com os pobres"

© Max Rossi / Reuters

O papa Francisco afirmou esta sexta-feira rezar para que as decisões do Presidente norte-americano, Donald Trump, "sejam guiadas pelos ricos valores espirituais e éticos" do povo americano e com "preocupação com os pobres".

"Rezo para que as suas decisões sejam guiadas pelos ricos valores espirituais e éticos que modelaram a história do povo americano e pelo compromisso da sua nação pelo progresso da dignidade humana e liberdade em todo o mundo", escreveu o papa numa mensagem para Trump.

"Sob a sua presidência, que a estatura (internacional) da América continue a ser medida, antes de mais, pela sua preocupação com os pobres, os rejeitados e aqueles que precisam", acrescentou.

O papa afirmou também rezar para que Deus dê "sabedoria e força" a Trump no exercício das funções presidenciais. Donald Trump tomou esta sexta-feira posse como 45.º Presidente dos Estados Unidos, após ter prestado juramento às 12:00 locais (17:00 em Lisboa), sucedendo no cargo a Barack Obama.

Trump prestou juramento sobre duas Bíblias - a sua, oferecida pela sua mãe, e a que o ex-Presidente Abraham Lincoln usou na sua posse, há 150 anos -- seguradas pela sua mulher, Melania, e rodeado pelos seus cinco filhos.

O juramento de Trump foi conduzido pelo juiz John Roberts, presidente do Supremo Tribunal dos Estados Unidos.Minutos antes, às 11:55 locais (16:55 em Lisboa), Mike Pence prestou juramento como vice-presidente dos Estados Unidos.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.