sicnot

Perfil

Mundo

Unesco classifica como "crime de guerra" destruição de tesouros em Palmira

Depois do Daesh: destruição da cidade de Palmira, março, 2016

Uncredited

A diretora geral da Unesco classificou esta sexta-feira como "um crime de guerra e uma perda imensa para o povo sírio e para a humanidade" a mais recente destruição de tesouros arqueológicos pelo grupo Daesh em Palmira.

Informações e imagens de satélite confirmaram esta sexta-feira a destruição de vários monumentos na cidade antiga de Palmira, no centro da Síria, retomada pelo Daesh em dezembro de 2016.

"Esta destruição deliberada é um novo crime de guerra. É uma perda imensa para o povo sírio e para a humanidade", reagiu a diretora-geral da Unesco, Irina Bokova, num comunicado citado pela agência France Presse.

"Este novo golpe sobre o património cultural, poucas horas depois de a Unesco ter sido informada de uma execução massiva no antigo anfiteatro de Palmira, mostra como a limpeza cultural conduzida pelos extremistas visa ao mesmo tempo as vidas humanas e os monumentos históricos, com a finalidade de privar o povo sírio do seu passado e do seu futuro", acrescentou.

"A proteção do património é indissociável da proteção das vidas", acrescentou Bokova.

Em Moscovo, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, considerou a nova destruição de monumentos uma "verdadeira tragédia".

"O que se passa em Palmira é uma verdadeira tragédia, do ponto de vista da herança cultural e histórica mundial", declarou aos jornalistas, de acordo com a AFP, lamentando que "as ações bárbaras" continuem.

"Tanto quanto sabemos, as forças sírias não desistiram dos planos de libertar a cidade dos terroristas", disse ainda o porta-voz do Presidente russo, Vladimir Putin, esclarecendo que "as tropas russas continuam a ajudar os sírios na luta contra o terrorismo".

No início de dezembro, as milícias do Daesh surpreenderam ao retomarem a cidade histórica de Palmira, um dos mais importantes centros culturais da antiguidade clássica, classificada pela Unesco como património da Humanidade.

O Daesh começou em maio de 2015 por tomar Palmira, que ocupou até março de 2016, altura em que as suas milícias foram expulsas pelas forças sírias, apoiadas por tropas russas.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.