sicnot

Perfil

Mundo

Comeu neve e gelo para aguentar 58 horas de agonia

Uma das sobreviventes da avalancha que soterrou o hotel Rigopiano, no centro de Itália, diz ter comido gelo e neve para matar a sede e a fome, numa luta pela sobrevivência que durou cerca de 58 horas.

"NÃO CONSEGUI PERCEBER O QUE SE PASSAVA"

Giorgia Galassi, de 22 anos, foi uma das nove pessoas a serem retiradas com vida dos escombros.

A estudante estava sentada num sofá na receção do hotel, acompanhada pelo noivo, quando o pior aconteceu. "Tudo se desmoronou e não consegui perceber nada do que se estava a passar", disse, em declarações ao jornal italiano Corriere della Sera.

O APOIO DO NOIVO

Depois da avalanche, Giorgia percebeu que a receção do hotel se tinha transformado numa espécie de cúpula, com quatro cavernas. "Estava um pouco escuro. Não se ouvia qualquer som do exterior e as nossas vozes ecoavam.", recorda.

A jovem revelou que o seu noivo foi o principal pilar durante todas as horas que passaram soterrados. "Ele apoiou-nos a todos. Por vezes até trauteava uma canção para nos tentar manter calmos", conta.

Giorgia e o noivo, Vincenzo Forti

Giorgia e o noivo, Vincenzo Forti

Facebook

SEM COMIDA NEM NOÇÃO DO TEMPO

Giorgia lembra também que as únicas coisas que tinham para comer eram neve e gelo.

"Perdi a noção do tempo e ainda não a recuperei. Mas penso que durou dois dias, talvez um pouco mais". Giorgia esteve presa durante 58 horas.

UM MOMENTO INESQUECÍVEL

Às 11h00 de sexta-feira (10h00 em Lisboa), começou a ouvir-se um som de máquinas e depois vozes, às quais a jovem respondeu "Chamo-me Giorgia e estou viva", palavras que vai sempre recordar como "a coisa mais linda que alguma vez disse"

A avalancha, que pesava cerca de 120 mil toneladas e atingiu o hotel a uma velocidade de 100 km/h, causou pelo menos seis mortos.

  • "Almaraz: Uma bomba-relógio aqui ao lado"
    1:56
  • 105 detidos pela PSP e GNR nas últimas 24 horas

    País

    Só a GNR deteve 64 pessoas em flagrante delito, entre a noite de sexta-feira e o início da manhã deste sábado, a maioria das quais (47) por condução sob o efeito do álcool. A PSP de Lisboa efetuou 41 detenções em 24 horas, dez por tráfico de droga.

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.