sicnot

Perfil

Mundo

PM da Hungria elogia fim do multilateralismo declarado por Trump

Reuters

O primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban, elogiou hoje como declaração chave do discurso de posse do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a de que todos os países têm o direito a pôr os seus interesses primeiro.


Orban interpretou a declaração de Trump como "o fim do multilateralismo".
No discurso de posse, na sexta-feira, Donald Trump disse que os EUA "procurarão amizade e boa vontade com as nações do mundo", "na compreensão de que é direito de todas as nações pôr os seus interesses primeiro".
Orban, que tem elogiado Trump, designadamente pela sua posição face à imigração, afirmou hoje que o Ocidente atravessa uma "mudança de caráter" e que a frase de Trump é fundamental para compreender o que se segue.
"Tivemos autorização, se quiserem, da mais alta posição do mundo para nos pormos em primeiro lugar", disse o primeiro-ministro húngaro, numa conferência económica na Hungria.
"Isso é algo muito importante, uma grande liberdade e um grande presente", acrescentou.
Viktor Orban também disse que o conservador francês François Fillon é o seu candidato preferido às presidenciais de 2017 em França e que apoia a sua proposta de uma nova aliança militar na Europa.

  • Enfermeiros especialistas em saúde materna retomam protesto 

    País

    Os enfermeiros especialistas em saúde materna e obstetrícia voltam quinta-feira de manhã a interromper as funções especializadas, o que pode afetar blocos de parto e maternidades. Queixam-se de "falta de resposta política adequada" e "ausência de acordos sérios".

  • Cristas vaiada em bairro de Chelas
    1:44

    Autárquicas 2017

    Assunção Cristas promete mudanças na Gebalis, a empresa municipal que gere os bairros sociais em Lisboa. Esta manhã, a candidata do CDS à câmara visitou um bairro de Chelas, onde foi vaiada por alguns populares.

  • Prestação da casa aumenta pela primeira vez desde 2014
    1:17

    Economia

    Pela primeira vez em três anos, as taxas de juro do crédito à habitação, estão a subir. A subida é de apenas 1 euro, mas é a primeira desde 2014, depois de em maio deste ano ter estabilizado e em junho ter descido. A justificação para este aumento é a evolução das taxas euribor.

  • "Em vez de ajudarem, estavam a tirar fotos dela a morrer"
    1:13