sicnot

Perfil

Mundo

Acusado de apoiar Daesh condenado a seis anos de prisão nos EUA

O escalar da ofensiva em Raqqa: A cidade síria continua a ser a "capital" do Daesh. O grupo extremista está a sofrer uma dupla ofensiva na Síria e no Iraque com os curdos a conquistarem a maior população a norte de Mossul e uma aliança árabe-curda a iniciar o ataque a Raqqa. Durante a campanha de Trump, o Presidente eleito prometeu um plano secreto para acabar com o Daesh e é durante 2017 que o mundo vai descobrir até que ponto este plano vai resultar.

© Rodi Said / Reuters

O departamento de Justiça norte-americano disse que um homem que manifestou o desejo de atacar a polícia ou o pessoal militar dos Estados Unidos por alegada fidelidade ao Daesh foi condenado a seis anos de prisão.

A procuradora Annette L. Hayes disse em comunicado que Daniel Seth Franey, também conhecido como Abu Dawuud, foi condenado na segunda-feira por um tribunal em Tacome por posse ilegal de armas de fogo.

Hayes disse que Franey, de Montesano, foi preso em fevereiro de 2016, depois de uma investigação, segundo a qual ele violou repetidamente a ordem que o proibia de possuir armas de fogo.

Franey tornou-se alvo de uma investigação federal depois de relatos de cidadãos sobre a sua retórica de violência, particularmente a apoiar o grupo Daesh.

Lusa

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • Estarão os portugueses a consumir vitamina D em excesso? 
    6:44
  • Investigadores criam nanovacina contra diferentes cancros

    Mundo

    Investigadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nanovacina (vacina administrada através de partículas microscópicas) contra diferentes cancros, como o da pele, do cólon e do reto, numa experiência com ratos, revela um estudo publicado esta segunda-feira.