sicnot

Perfil

Mundo

Rodeado por homens, Trump assina diploma que proíbe financiamento do aborto

© Kevin Lamarque / Reuters

Um diploma assinado ontem pelo Presidente norte-americano proíbe o financiamento de abortos com dinheiro público. Rodeado por sete homens na Sala Oval, o momento da assinatura ficou registado e já está a gerar críticas nas redes sociais.

Foi um dos primeiros atos oficiais de Trump enquanto Presidente e já se tornou viral. Na Sala Oval estavam apenas homens, num momento extremamente decisivo para os direitos das mulheres.

Trump assinou o documento 44 anos depois da legalização do abordo nos Estados Unidos. A legislação proíbe o financiamento público do aborto e o financiamento para grupos de pressão que pretendem legalizar o aborto ou promovê-lo como método de planeamento familiar.

No Twitter, as críticas multiplicam-se. "Enquanto fores vivo, nunca verás sete mulheres assinar legislação sobre o que os homens podem fazer com os seus órgãos reprodutores", ironiza Martin Belam, um tweet que já foi partilhado mais 130 mil vezes.

"Este grupo acabou de tornar mais difícil para as mulheres o acesso a cuidados de saúde. Diz-me o que está mal nesta fotografia", escreve Kamala Harris.

A decisão de Trump afetará milhares de mulheres e pode mesmo ser fatal para as que não têm acesso a "locais seguros" para abortar.

O Presidente dos EUA poderá considerar esta decisão como uma das primeiras vitórias, mas para os milhares que marcharam pelos direitos das mulheres durante o fim de semana, esta será mais uma razão para se oporem à nova administração norte-americana.

  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Salah Abdeslam deixa cadeira vazia na leitura da sua sentença
    2:05

    Mundo

    O único suspeito vivo dos ataques de Paris em 2015 foi esta segunda-feira condenado a 20 anos de prisão por um tribunal belga, num processo paralelo: um tiroteio em março de 2016, em Bruxelas. Tanto Salah Abdeslam como o cúmplice não quiseram estar na leitura da sentença. O julgamento de Salah Abdeslam pelos ataques de Paris só deverá acontecer no próximo ano, em França.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.