sicnot

Perfil

Mundo

Macau mostra pandas bebés pela primeira vez ao público pelo Ano Novo chinês

China Xinhua News

Macau prepara-se para receber o Ano Novo chinês, com uma série de atividades, como desfiles, espetáculos, concertos, feiras e exposições, reservando ainda para a quadra festiva a primeira apresentação pública do par de pandas bebés.

Os pandas gémeos - que completam sete meses de vida - vão poder ser vistos primeira vez pelo público a partir da próxima sexta-feira, dia 27, véspera do Ano Novo chinês, e até 12 de fevereiro, apenas durante duas horas por dia.

"Jian Jian" e "Kang Kang", ambos do sexo masculino e cujos nomes ditos em conjunto significam "saúde", foram os primeiros nascidos em Macau, sendo filhos do mais recente casal de pandas gigantes oferecido pela China à sua Região Administrativa Especial.

A primeira aparição pública dos pandas figura como uma das múltiplas atividades programadas para celebrar a entrada no Ano do Galo.

No primeiro dia no novo ano, no sábado, sai à rua a parada do Dragão Gigante e também o Deus da Fortuna e os três Deuses da Felicidade, Longevidade e Prosperidade, além dos 12 signos do zodíaco chinês, cujas atuações, que se fazem acompanhar pela distribuição de lembranças e "lai sis" - pequenos envelopes vermelhos com dinheiro que se oferecem nesta época festiva -, se estendem ao dia de domingo.

Durante o fim de semana, inúmeros espetáculos protagonizados por grupos de fora, incluindo da China, de Hong Kong, da Colômbia, Espanha, Alemanha ou Estados Unidos, também vão animar a cidade, com a Marcha de Alfama a representar Portugal nas festividades.

No terceiro e no oitavo dia do Novo Ano Lunar (30 de janeiro e 04 de fevereiro), Macau assiste à parada de celebração do Ano do Galo, que decorre pelo quinto ano e tem direito a transmissão em direto pela televisão, a qual inclui um desfile de carros alegóricos e espetáculos culturais. Na segunda-feira, dia 30, há ainda fogo-de-artifício.

Os primeiros "panchões" (cartuchos de pólvora) podem ser rebentados para afastar os maus espíritos a partir do meio-dia de sexta-feira nas duas zonas para o efeito (uma na península de Macau e outra na ilha da Taipa) e até à meia-noite de 01 de fevereiro, o quinto dia do ano novo lunar.

Durante este período festivo muitas outras atividades, desde concertos, a espetáculos de variedades, passando por "workshops" ou feiras tiveram ou vão ter lugar, um pouco por toda a cidade, organizadas por diferentes entidades.

Esta quarta-feira, por exemplo, foi inaugurada uma exposição - intitulada "Uma Brisa Primaveril nas Terras Verdejantes do Sul" -, composta por centenas de itens relacionados com as tradições do Ano Novo Lunar em Macau, Hong Kong e na província chinesa de Guangdong, a qual vai estar patente ao público até 19 de fevereiro.

Revelada foi também a estátua do novo ano lunar que fica à entrada, do lado da Taipa, da primeira ponte de Macau, a Governador Nobre de Carvalho, uma obra da autoria do engenheiro português Edgar Cardoso inaugurada em 1974, por onde apenas circulam transportes públicos.

O galo, com três metros de altura, de cor dourada e "olhos brilhantes", veste "uma túnica vermelha chinesa" e segura, numa das mãos, um dístico alusivo ao Ano Novo chinês, apresentando-se com "uma postura vigorosa", "dando a sensação de vitalidade", descreve o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM).

O Ano Novo Chinês, também conhecido como Festival da Primavera, é uma tradição com mais de 2.000 anos na China e a principal festa de reunião das famílias chinesas, que leva milhões de pessoas a percorrerem centenas e até milhares de quilómetros até à terra natal naquele que é o maior movimento migratório do mundo.

Lusa