sicnot

Perfil

Mundo

Muro da fronteira EUA-México começou a ser construído há mais de 20 anos

© Jose Luis Gonzalez / Reuters

O Presidente dos Estados Unidos anunciou esta quarta-feira a construção de um muro na fronteira com o México que vai começar dentro de "meses". Esta era uma das promessas eleitorais e Donald Trump não perdeu tempo e assinou na primeira semana de mandato a ordem para a construção da obra, cujo projeto será feito "de imediato". Este não é, contudo, o primeiro Presidente norte-americano a defender a edificação de uma barreira na fronteira entre os dois países. Um terço do muro já existe e começou a ser erguido há mais de 20 anos.

A construção do muro começou em 1991, durante o mandato de George W. Bush pai, mas a obra foi impulsionada três anos mais tarde com a Operação Guardião, que foi implementada na presidência do democrata Bill Clinton. O principal objetivo foi impedir a imigração ilegal na região de San Diego, Califórnia, na zona mais ocidental na fronteira entre o México e os Estados Unidos.

Ironicamente, o início da construção do muro decorreu durante a criação do Tratado Norte-Americano de Comércio Livre, cujo objetivo era a aproximação entre EUA, México e Canadá, embora mais do ponto de vista económico e não social.

© Mike Blake / Reuters

A extensão do muro já construído tem cerca de 1.000 quilómetros, aproximadamente um terço da fronteira entre os dois países. Numas zonas é uma simples vedação ou parede, não muito elevada e com proteções no topo. Noutras, a barreira é composta por dois muros, entre os quais circulam veículos militares e de fiscalização. Neste tipo de estrutura existem também torres de observação.

A maior parte do muro, que não é uma barreira contínua, está construída na fronteira entre San Diego, nos EUA, e Tijuana, no México. Outras partes do muro ergueram-se nos estados do Arizona, Novo México e Texas. Nas zonas onde não há barreiras físicas, há câmaras de vigilância e alarmes, para além da polícia de fronteira norte-americana.

Em 2006, o republicano George W. Bush filho assinou a legislação Secure Fence Act, que previa a construção de 1.126 quilómetros de muro, mas a obra nunca chegou a avançar devido a protestos e ações judiciais.

A proposta de Donald Trump visa travar a entrada de imigrantes ilegais no território americano. Numa entrevista ao canal americano ABC, Trump voltou a referir que "em última instância" o custo do muro será "reembolsado pelo México" e que o pagamento vai cobrir "100%" do custo do projeto de construção. Facto totalmente rejeitado pelo Presidente mexicano, Enrique Peña Nieto.

De acordo com a Associated Press (AP), não há até agora registo de nenhuma pessoa envolvida em ataques terroristas nos Estados Unidos que tenha entrado ilegalmente no país pela fronteira mexicana.

Estima-se que 11 milhões dos imigrantes ilegais nos EUA tenham entrado no país por terra e que estejam fora dos registos oficiais norte-americanos. Tal como anunciou durante a campanha, Trump quer combater este fenómeno com a construção do muro e o reforço do número de agentes de deportação.

Outro dos argumentos de Trump para a construção do muro é o combate ao tráfico de droga, mas os números mostram, segundo a AP, que a maior parte dos estupefacientes entram nos Estados Unidos pelas fronteiras legais. A maioria chega disfarçada em veículos de mercadorias ou de passageiros.

  • "Vamos construir o muro!"

    Mundo

    O Presidente norte-americano assina hoje o decreto que autoriza o início da construção do muro na fronteira com o México para impedir a imigração ilegal. Deverá assinar também um decreto que limita a imigração.

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52