sicnot

Perfil

Mundo

Polícia austríaca realiza operações anti-terroristas em Viena e Graz

© Ben Nelms / Reuters

O ministro do Interior da Áustria disse esta quinta-feira que as autoridades policiais estão a proceder a operações contra suspeitos de radicalismo islâmico "em duas cidades do país".

Por outro lado, o porta-voz do ministério, Karl-Heinz Grundboeck, acrescentou que os pormenores sobre a ação da polícia austríaca só vão ser divulgados depois de elaborada uma primeira avaliação referente às duas operações.

As primeiras declarações do Ministério do Interior só aconteceram depois de vários meios de comunicação social austríacos terem noticiado buscas da polícia na capital e na cidade de Graz, no sul do país.

Há menos de uma semana, a polícia deteve um jovem de 17 anos, em Viena, acusado de estar envolvido com grupos "radicais salafistas" que supostamente estariam a "montar uma bomba".

Lusa

  • Passos explica porque se sentiu irritado com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o Presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas de que foi alvo.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.