sicnot

Perfil

Mundo

Taxa de desemprego em Espanha desce para 18,63%, a mais baixa desde 2009

Reuters

© Andrea Comas / Reuters

A taxa de desemprego em Espanha baixou para 18,63 % em 2016, a mais reduzida desde 2009, segundo o inquérito sobre a população ativa publicado esta quinta-feira em Madrid pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) espanhol.

De acordo com este relatório, o número de desempregados baixou em 541.700 pessoas no ano passado, situando o número total de pessoas sem trabalho nas 4.237.800, a menor dos últimos sete anos.

Por outro lado, o número de pessoas com emprego aumentou para 18.508.100, o que significa mais 413.900 do que em 2015.

O número de empregados aumentou menos do que a redução dos desempregados, devido à diminuição da população ativa em 127.800 pessoas durante 2016, alcançando os 22.745.900 espanhóis, o menor número de pessoas ativas dos últimos 10 anos.

De acordo com o mesmo relatório, o número de agregados familiares espanhóis em que todos os membros ativos estão desempregados diminuiu no quarto trimestre de 2016 em 50.500, para um total de 1.387.700, dos quais 344.800 eram unipessoais (famílias com uma pessoa).

O número de famílias em que todos os membros ativos estão ocupados aumentou em 60.700, até alcançar os 9.883.600 agregados familiares, dos quais 1.868.700 são unipessoais.

Comparando com o mesmo período de 2015, o número de agregados familiares com todos os seus membros desempregados foi reduzido em 168.900, enquanto os que têm todos os seus membros ativos empregados creceu em 353.200.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras