sicnot

Perfil

Mundo

Bélgica vai pedir explicações a Trump por proibição a cidadãos de países muçulmanos

© Francois Lenoir / Reuters

O primeiro-ministro belga Charles Michel disse este domingo que vai pedir explicações ao Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a proibição de entrada no país de cidadãos de vários países de maioria muçulmana.

"Estamos em desacordo com a proibição de acesso ao território (de cidadãos) de sete países muçulmanos. A Bélgica não seguirá o exemplo e pedirá explicações pela via diplomática", informou a porta-voz do chefe de Governo à agência estatal belga.

A Bélgica junta-se assim à Alemanha na rejeição da decisão de Trump, que já foi contestada na justiça, de proibir a entrada de cidadãos de sete países de maioria muçulmana: Irão, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iémen.

A chanceler alemã Angela Merkel declarou-se este domingo contra a proibição temporária, adiantando que "a guerra contra o terrorismo não justifica que se coloque sob suspeita generalizada pessoas em função de uma determinada procedência ou religião", segundo o porta-voz do Governo alemão, Steffen Seibert.

O Presidente norte-americano considerou no sábado que o decreto de restrição à imigração e entrada de refugiados nos Estados Unido "está a funcionar muito bem".

"Está a funcionar muito bem. Vê-se nos aeroportos, por todo o lado", declarou Donald Trump durante uma breve cerimónia de assinatura de novos decretos. Desde sexta-feira que viajantes oriundos daqueles países foram impedidos de entrar em aviões com destino aos Estados Unidos, desencadeando protestos em vários aeroportos.

Lusa

  • José Eduardo dos Santos há 38 anos no poder
    2:42

    Mundo

    José Eduardo dos Santos foi o segundo Presidente com mais tempo de liderança a nível mundial, quase 38 anos. Este ano, anunciou que não voltaria a concorrer às eleições, mas mantêm-se, por enquanto, como presidente do MPLA. No dia em que os angolanos foram às urnas para escolher o seu sucessor, apresentamos a vida de José Eduardo dos Santos.

  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.