sicnot

Perfil

Mundo

Berlim vai defender cidadãos do veto de Trump em coordenação com UE

© Fabrizio Bensch / Reuters

O Governo alemão advertiu este domingo que defenderá "com determinação" e em coordenação com os seus parceiros da União Europeia (UE) os interesses dos seus cidadãos com dupla nacionalidade face ao decreto anti-imigração norte-americano.

Assinado na sexta-feira pelo Presidente, Donald Trump, o decreto proíbe a entrada a todos os cidadãos da Síria, Líbia, Sudão, Irão, Iraque, Somália e Iémen durante 90 dias, bem como aos refugiados de qualquer origem durante 120 dias.

"As nossas embaixadas em Washington estão a analisar com toda a celeridade possível as consequências que esse decreto pode ter para os nossos cidadãos com dupla nacionalidade", indicou o ministro dos Negócios Estrangeiros, Sigmar Gabriel, num comunicado conjunto com o seu homólogo holandês, Bert Koenders.

O texto assinala a determinação de ambos os países de darem os passos necessários à escala da UE na defesa daqueles interesses, afirmando que as "medidas adequadas" serão tomadas rapidamente.

Os chefes da diplomacia da Alemanha e da Holanda destacam o seu compromisso com a luta contra o terrorismo, mas consideram que esta não deve contrariar os valores fundamentais, entre os quais a não-estigmatização das pessoas por razões de origem ou religião.

A medida norte-americana visa, segundo Trump, lutar contra os "terroristas islâmicos radicais".

"A proteção dos refugiados é um preceito ancorado no direito internacional, de acordo com a Convenção de Genebra, que não está em discussão", nota ainda o comunicado.

A aplicação do decreto anti-imigração já levou à detenção de 109 pessoas nas fronteiras e impediu cerca de 200 de voarem para os Estados Unidos.

Lusa

  • Aviação russa matou mais de 11 mil pessoas na Síria

    Mundo

    Pelo menos 11.612 pessoas morreram na Síria em resultado dos bombardeamentos da aviação russa, aliada do Governo de Damasco, iniciados em 30 de setembro de 2015, de acordo com dados publicados hoje pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

  • Mais de 500 casos de sarampo na Europa este ano, avisa OMS

    Mundo

    Mais de 500 casos de sarampo foram reportados só este ano na Europa, afetando pelo menos sete países, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em Portugal, a OMS reconheceu oficialmente a eliminação do vírus do sarampo no verão do ano passado.