sicnot

Perfil

Mundo

François Fillon e mulher interrogados por alegado emprego fictício

© Nikola Solic / Reuters

O candidato da direita às presidenciais francesas, François Fillon, e a sua mulher, Penelope, foram esta segunda-feira interrogados pela polícia, no âmbito de um inquérito por uso indevido de fundos públicos, informou uma fonte próxima da investigação.

O inquérito foi desencadeado na semana passada por uma notícia do jornal satírico Le Canard Enchaîné segundo a qual Penelope Fillon terá "recebido cerca de 500.000 euros brutos" em oito anos na qualidade de assessora parlamentar do marido, apesar de nunca ter exercido essas funções.

A mulher de Fillon também terá sido assistente literária no título La Revue des Deux Mondes, uma publicação detida por Marc Ladreit de Lacharrière, um empresário próximo do ex-primeiro-ministro durante a Presidência de Nicolas Sarkozy (2007-2012).

O caso está a ser um escândalo e Fillon -- que surge hoje numa sondagem do jornal Le Figaro na segunda posição nas intenções de voto para a primeira volta das eleições presidenciais francesas -- afirmou durante o último fim de semana que não irá deixar-se "intimidar" por estas suspeitas.

Também disse que só daria explicações à justiça e não à comunicação social, porque confia na justiça para estabelecer a verdade. Fillon, que insiste que os empregos de Penelope não foram fictícios e que a sua mulher efetuou os trabalhos para que foi contratada, afirmou igualmente que está a ser vítima de um ataque para travar a sua possível eleição para o Eliseu (sede da Presidência francesa). E referiu entretanto que só irá renunciar da candidatura se for acusado.

A fonte judicial citada hoje pela agência noticiosa francesa AFP não acrescentou mais pormenores sobre o interrogatório do casal Fillon.

Segundo a estação de televisão BFMTV, Fillon e a mulher foram ouvidos, em separado, na sede da polícia financeira em Nanterre, nos arredores de Paris.Antes de ouvir o casal Fillon, a polícia financeira francesa interrogou, na sexta-feira, Michel Crépu, ex-diretor da La Revue des Deux Mondes, e a jornalista Christine Kelly, biógrafa de François Fillon.Hoje de manhã, as autoridades judiciais ouviram também o empresário Marc Ladreit de Lacharrière.

A primeira volta das eleições presidenciais francesas realiza-se a 23 de abril deste ano. Caso seja necessária uma segunda volta, o escrutínio realiza-se em maio.

Lusa