sicnot

Perfil

Mundo

Guterres critica encerramento de fronteiras

© Pierre Albouy / Reuters

O secretário-geral das Nações Unidas condenou hoje o encerramento de fronteiras. Uma alusão à política anti-imigração dos Estados Unidos, que fecharam as fronteiras a habitantes de sete países de maioria muçulmana, durante 90 dias.

"As fronteiras africanas permanecem abertas para aqueles que precisam de proteção quando muitas fronteiras estão fechadas, incluindo as dos países mais desenvolvidos do mundo", disse Guterres no discurso que proferiu na reunião da União Africana (UA), a primeira em que participou enquanto secretário-geral da ONU.

Os países africanos figuram entre os "mais generosos" do mundo para os refugiados, disse Guterres.

A presidente cessante da Comissão da UA, a sul-africana Nkosazana Dlamini-Zuma, também se mostrou preocupada com o novo ambiente internacional, que se traduz em muitas incertezas para o continente africano.

"É claro que, globalmente, estamos a entrar num período de turbulência; por exemplo, o mesmo país onde o nosso povo foi levado como escravo decidiu proibir os refugiados de alguns dos nossos países", disse Dlamini-Zuma.

A cimeira dos 28 países da UA é uma das maiores dos últimos anos, e deverá analisar o pedido de Marrocos para a reintegração na organização e eleger um novo presidente da Comissão, dois assuntos que garantem divisões profundas dentro da organização, segundo a AFP.

Com Lusa

  • Eis os novos heróis de Vila de Aves
    3:03
  • Desportivo das Aves fora da Liga Europa

    Desporto

    O Desportivo das Aves não vai à Liga Europa e o Sporting terá entrada direta na fase de grupos. Apesar da conquista da Taça de Portugal, a equipa avense não se licenciou em tempo útil para poder participar na prova da UEFA, apurou a SIC.

  • E agora, Sporting? Semana de decisões e incertezas
    2:53
  • "Para primeiro dia de pesca da sardinha, não foi mau"
    2:19
  • "Desfiliei-me do PS mas continuo socialista"
    1:29

    País

    José Sócrates garantiu este domingo que não atacará o PS e que continua a ser socialista. O antigo primeiro-ministro participou num almoço de apoio, em Lisboa, com cerca de 100 pessoas, a maioria anónimos.