sicnot

Perfil

Mundo

Viver no espaço altera os genes, revela estudo da NASA sobre gémeos astronautas

Mark, à esquerda, ficou em Terra, Scott esteve 340 dias no espaço.

NASA

Os primeiros resultados do estudo que a NASA está a realizar com os gémeos astronautas revelam que há alterações genéticas no organismo do astronauta que viveu durante um ano no espaço.

Em março de 2016, Scott Kelly regressou à Terra após 340 dias a viver na órbita terrestre, a bordo da Estação Espacial Internacional. A par do cosmonauta russo Mikhail Kornienko, bateram o recorde da mais longa estadia no espaço.

A sua missão era sobretudo avaliar os efeitos fisiológicos e psicológicos de tão prolongada saída da Terra, com vista à preparação de uma viagem até Marte. Para um ser humano chegar ao planeta vermelho são precisos nove meses, mas uma viagem de ida e volta demorará 500 dias.

Scott Kelly foi o objeto da experiência mais interessante para os cientistas uma vez que em Terra ficou o seu irmão gémeo, Mark, também astronauta, mas já na reforma.

Ambos têm exatamente o mesmo perfil genético, ocasião única para estudar eventuais disparidades na expressão dos genes - causadas pelas radiações ou pela micro-gravidade. Mark, o gémeo terrestre, realizou os mesmos testes que o seu irmão "espacial".

Os resultados preliminares deste estudo começam agora a ser divulgados, mas foram tantos os testes e as experiências realizados que vão demorar alguns anos até se terem as conclusões finais. A revista Nature publicou um resumo das primeiras conclusões dos peritos, já discutidas numa conferência a 26 de janeiro.

© Handout . / Reuters

Scott esteve 340 dias ininterruptos no espaço entre 2015 e 2016, mas no total já esteve 520 dias. Mark esteve no espaço 54 dias em quatro missões do vaivém espacial entre 2001 e 2011.

"Foram observadas diferenças entre os dois gémeos", refere o geneticista Christopher Mason, do Weill Cornell Medical College em Nova Iorque. Essas diferenças situam-se ao nível da expressão dos genes, da metilação (modificação química) de certos grupos de ADN e outros parâmetros biológicos. Tudo junto parece indicar que há uma reação do organismo perante um stress intenso - neste caso, a viagem espacial, referem os cientistas.

Houve, já se sabe, alterações que no entanto foram revertidas, como foi o caso de Scott Kelly ter crescido 3,81 centímetros, mas depois de regressa à Terra voltou à altura que tinha.

Os gémeos Scott e Mark Kelly vão continuar a ser avaliados durante quatro anos. Mas a NASA espera poder realizar outras experiências com outros voluntários e aguarda a candidatura de mais pares de gémeos para futuros astronautas.

© MAXIM ZMEYEV / Reuters

  • NASA lança projeto de pesquisa com astronauta norte-americano e irmão gémeo
    1:43

    Mundo

    Arranca na sexta feira uma missão espacial inédita da NASA. Um astronauta norte-americano e um cosmonauta russo vão passar um ano na Estação Espacial Internacional. Durante esse período, os especialistas vão fazer testes ao astronauta e ao irmão gémeo que vai ficar em Terra, para avaliar os efeitos da permanência prolongada no espaço.A experiência com duas pessoas geneticamente semelhantes pretende perceber como o espaço afeta o corpo humano durante uma estadia prolongada.

  • Trabalhos no viaduto terminaram, mas trânsito continua condicionado em Alcântara
    1:23

    País

    Não há, para já, previsão para o restabelecimento da normalidade em Alcântara. Os trabalhos para colocar o viaduto de Alcântara na posição correta, depois do desvio registado num pilar, decorreram esta madrugada. O trânsito mantém-se por isso condicionado no sentido Cascais-Lisboa, como explicou o repórter da SIC, Paulo Varanda.

  • As vantagens de comprar online
    8:03
  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Marcelo reuniu-se com líderes europeus para falar do futuro da UE
    2:31

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa esteve esta quarta-feira em Bruxelas e participou numa homenagem às vítimas do atentado em Bruxelas, onde colocou uma coroa de flores junto ao monumento.O Presidente da República esteve também reunido com os líderes das principais instituições europeias para falar sobre o futuro da UE.