sicnot

Perfil

Mundo

Reino Unido indulta milhares de homossexuais condenados por antiga legislação

(Reuters/Arquivo)

© Thomas Peter / Reuters

O governo britânico concedeu um indulto e um "perdão póstumo" a milhares de homens condenados no passado no Reino Unido por serem homossexuais ou bissexuais, afirmou esta terça-feira o ministro da Justiça e do Interior, Sam Gyimah.

"Hoje é um dia verdadeiramente memorável", disse Gyimah, ao assinalar a entrada em vigor da "Lei de Turing", diploma designado assim em honra de Alan Turing (1912-1954), o matemático britânico que ajudou a decifrar os códigos secretos nazis durante a II Guerra Mundial.

Alan Turing foi condenado por atentado ao pudor grave, depois de ter mantido relações com um homem de 19 anos, em 1952. Posteriormente, foi castrado quimicamente. O matemático suicidou-se com cianeto em 1954.

A legislação que entrou hoje em vigor permitiu ao Executivo de Londres conceder "indultos formais" aos cerca de 49 mil homens que foram condenados no passado no Reino Unido porque mantinham relações homossexuais consensuais.

A par do indulto póstumo, o governo britânico concedeu um "perdão legal" a todos aqueles que ainda estão vivos. Desta forma, os respetivos cadastros criminais são eliminados.

Londres tinha anunciado em 2016 a introdução desta nova legislação, que oficialmente é designada como "Lei Policial e Criminal". A lei entrou hoje em vigor depois de ter sido assinada pela rainha Isabel II.

"Não podemos desfazer os danos causados, mas pedimos desculpa e foram tomadas medidas para corrigir esses erros", destacou o ministro da Justiça e do Interior.

A organização de defesa dos direitos dos homossexuais Stonewall aplaudiu o passo dado pelo governo britânico, considerando que a medida é um "marco importante" para assegurar a igualdade perante a lei.

Manter relações homossexuais foi considerado um crime na Inglaterra e em Gales até 1967. Na Escócia foi crime até 1980 e na Irlanda do Norte até 1982.

Em 2013, a rainha Isabel II concedeu um perdão ao matemático Alan Turing. Nessa altura, surgiu um movimento, batizado com o seu nome, para pedir que o indulto fosse aplicado a todas as pessoas que foram condenadas por causa da sua orientação sexual.

Esta campanha envolveu várias personalidades, incluindo o ator britânico Benedict Cumberbatch, que protagonizou o filme inspirado na história do matemático "O Jogo da Imitação" (2014), que ganhou em 2015 o Óscar de Melhor Argumento Adaptado.

Antes do perdão real, um pedido de desculpas foi oferecido em 2009 pelo então primeiro-ministro britânico, o trabalhista Gordon Brown, pela forma como Alan Turing foi tratado.

O matemático tornou-se um símbolo da luta pelos direitos dos homossexuais.

Lusa

  • As zonas de guerra que o fogo deixou
    3:13

    País

    A chuva finalmente ajudou na luta contra as chamas e o que fica agora é um cenário de devastação no norte e centro do país. Morreram 37 pessoas, arderam centenas de casas e empresas e há críticas severas à falta de meios.

  • Visto do céu, Portugal é um país que se vestiu de negro
    3:28
  • Portugueses usam Facebook para marcar protestos contra incêndios

    País

    Os incêndios que têm acontecido este ano estão a causar revolta entre a população. Por essa razão, estão marcadas, através da rede social Facebook, várias manifestações para os próximos dias um pouco por todo o país. Os portugueses exigem a melhoria do sistema, para que as tragédias deste ano não se voltem a repetir.

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06
  • "Quem está no Governo tem sérias responsabilidades"
    1:07

    Opinião

    Pacheco Pereira aponta falhas do Estado, dos bombeiros e da Proteção Civil como causa dos incêndios que assolaram o país no passado domingo. O comentador da SIC considera que o Governo tem responsabilidade perante o que aconteceu.

  • Presidente das Indústrias de Madeira diz que fogos estão a afetar o setor
    0:39

    País

    A Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário desvaloriza que os industriais do setor possam comprar madeira mais barata, em resultado dos incêndios florestais. Em entrevista na SIC Notícias, o presidente da associação, Vítor Poças, considera que os fogos estão a prejudicar gravemente a indústria.