sicnot

Perfil

Mundo

Israel autoriza três mil casas em colonatos na Cisjordânia

Colonato judeu na Cisjordânia a ser destruído por ordem da Justiça israelita.

© Mohamad Torokman / Reuters

Israel anunciou na terça-feira à noite a construção de 3.000 casas em colonatos na Cisjordânia, o quarto anúncio deste tipo em menos de duas semanas, desde a tomada de posse do Presidente norte-americano, Donald Trump.

"O ministro da Defesa, Avigdor Lieberman, e o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, decidiram autorizar a construção de 3.000 novas unidades de habitação em Judeia e Samaria", disse o Ministério da Defesa em comunicado, usando o termo adotado por Israel para a Cisjordânia, um território palestiniano que ocupa desde 1967.

Desde 20 de janeiro, quando Donald Trump tomou posse, Israel deu luz verde à construção de 566 unidades habitacionais em três colonatos de Jerusalém Oriental e anunciou a construção de 2.502 casas na Cisjordânia.

Na passada quinta-feira, o município de Jerusalém deu autorização final a 153 novas frações que estavam suspensas por pressão da Administração de Barack Obama.

As autoridades israelitas aproveitaram a oportunidade aberta por Trump, depois da resistência à expansão dos colonatos manifestada nas últimas semanas da presidência de Obama.

"Construímos e continuaremos a construir", prometeu Netanyahu, admitindo que a presidência de Trump representa uma "oportunidade formidável" após "enormes pressões" da Administração Obama sobre os colonatos.

Lusa

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48