sicnot

Perfil

Mundo

Israel autoriza três mil casas em colonatos na Cisjordânia

Colonato judeu na Cisjordânia a ser destruído por ordem da Justiça israelita.

© Mohamad Torokman / Reuters

Israel anunciou na terça-feira à noite a construção de 3.000 casas em colonatos na Cisjordânia, o quarto anúncio deste tipo em menos de duas semanas, desde a tomada de posse do Presidente norte-americano, Donald Trump.

"O ministro da Defesa, Avigdor Lieberman, e o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, decidiram autorizar a construção de 3.000 novas unidades de habitação em Judeia e Samaria", disse o Ministério da Defesa em comunicado, usando o termo adotado por Israel para a Cisjordânia, um território palestiniano que ocupa desde 1967.

Desde 20 de janeiro, quando Donald Trump tomou posse, Israel deu luz verde à construção de 566 unidades habitacionais em três colonatos de Jerusalém Oriental e anunciou a construção de 2.502 casas na Cisjordânia.

Na passada quinta-feira, o município de Jerusalém deu autorização final a 153 novas frações que estavam suspensas por pressão da Administração de Barack Obama.

As autoridades israelitas aproveitaram a oportunidade aberta por Trump, depois da resistência à expansão dos colonatos manifestada nas últimas semanas da presidência de Obama.

"Construímos e continuaremos a construir", prometeu Netanyahu, admitindo que a presidência de Trump representa uma "oportunidade formidável" após "enormes pressões" da Administração Obama sobre os colonatos.

Lusa

  • Elemento dos Super Dragões com medida de coação mais gravosa
    1:37

    Desporto

    Os seis arguidos da Operação Jogo Duplo, que investiga crimes de corrupção e viciação de resultados na II Liga de futebol, saíram em liberdade. A medida de coação mais gravosa é para um membro da claque Super Dragões, que terá de pagar uma caução de 5 mil euros.

  • Mais de 120 pessoas com hepatite A
    2:23

    País

    O surto de hepatite A já infetou 128 pessoas, 60 das quais estão internadas em hospitais de Lisboa e Coimbra. A Direção-Geral da saúde recomenda a vacinação apenas aos familiares dos doentes. Apesar de não haver ruptura de stocks, há farmácias que não têm vacinas.

  • Sobreviventes de Mossul relatam mutilações e execuções do Daesh
    1:32