sicnot

Perfil

Mundo

Marine Le Pen recusa-se a devolver 300 mil euros ao Parlamento Europeu

© Jacky Naegelen / Reuters

A candidata da Frente Nacional às presidenciais em França recusa-se a devolver cerca de 300 mil euros ao Parlamento Europeu. Marine Le Pen tinha até à meia-noite para pagar a verba, mas não o fez e afirma que não tem intenção de o fazer.

Estrasburgo alega que Marine de Pen usou os fundos erradamente, alegando que a candidata contratou com essa verba a sua amiga Catherine Griset como "assistente acreditada", de 2010 a 2016, para trabalhar na Frente Nacional e não no Parlamento Europeu.

Marine Le Pen alega que está a ser vítima de vingança e declarou: "Contesto formalmente esta decisão, unilateral e ilegal".

De acordo com o Paris Le Match, estará também em causa um valor superior a 41.500 euros para remunerar Thiérry Légier, guarda costas de Le Pen.

Se a dirigente da Frente Nacional não devolver o dinheiro, o Parlamento poderá vir a reter cerca de metado do salário da deputada europeia, valor que deverá rondar os 11 mil euros mensais.

Le Pen é deputada do Parlamento Europeu desde 2004, foi eleita presidente da Frente Nacional em 2011 e vai este ano disputar as presidenciais, que terão lugar em abril e maio. Caso vença, já garantiu que vai realizar em França um referendo semelhante ao Brexit.

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.