sicnot

Perfil

Mundo

Marine Le Pen recusa-se a devolver 300 mil euros ao Parlamento Europeu

© Jacky Naegelen / Reuters

A candidata da Frente Nacional às presidenciais em França recusa-se a devolver cerca de 300 mil euros ao Parlamento Europeu. Marine Le Pen tinha até à meia-noite para pagar a verba, mas não o fez e afirma que não tem intenção de o fazer.

Estrasburgo alega que Marine de Pen usou os fundos erradamente, alegando que a candidata contratou com essa verba a sua amiga Catherine Griset como "assistente acreditada", de 2010 a 2016, para trabalhar na Frente Nacional e não no Parlamento Europeu.

Marine Le Pen alega que está a ser vítima de vingança e declarou: "Contesto formalmente esta decisão, unilateral e ilegal".

De acordo com o Paris Le Match, estará também em causa um valor superior a 41.500 euros para remunerar Thiérry Légier, guarda costas de Le Pen.

Se a dirigente da Frente Nacional não devolver o dinheiro, o Parlamento poderá vir a reter cerca de metado do salário da deputada europeia, valor que deverá rondar os 11 mil euros mensais.

Le Pen é deputada do Parlamento Europeu desde 2004, foi eleita presidente da Frente Nacional em 2011 e vai este ano disputar as presidenciais, que terão lugar em abril e maio. Caso vença, já garantiu que vai realizar em França um referendo semelhante ao Brexit.

  • Veio para Portugal para estar mais perto da natureza mas o fogo levou-lhe tudo
    4:59
  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão