sicnot

Perfil

Mundo

Mil diplomatas dos EUA assinam carta contra veto de Trump à imigração muçulmana

REUTERS

Cerca de mil diplomatas norte-americanos assinaram um documento, apresentado na terça-feira no Departamento de Estado, para protestar contra o veto temporal imposto por Donald Trump à entrada de pessoas provenientes de sete Estados de maioria muçulmana.

"O Departamento de Estado pode confirmar que recebemos em 31 de janeiro o texto que expressa a desconformidade" dos diplomatas, disse à agência noticiosa Efe fonte desta estrutura governamental, sob anonimato.

Esta fonte não quis especificar o número de assinantes "para poder respeitar o processo que permite" aos funcionários do Departamento "expressar as suas preocupações" no chamado canal de divergências", estabelecido para registar as opiniões contrárias em relação a políticas definidas.

Porém, vários órgãos de comunicação adiantaram que o documento recolheu cerca de mil assinaturas de diplomatas, colocados em todo o mundo, uma quantidade muito superior à média dos últimos anos. Este canal existe desde o tempo da guerra do Vietname (1955-1975) para que as altas esferas da diplomacia norte-americana possam exprimir as suas opiniões sem recearem represálias.

Os documentos ali recebidos devem receber uma resposta oficial entre 30 a 60 dias. Apesar desta valha tradição, o porta-voz da Casa Blanca, Sean Spicer, criticou, de forma dura, os que assinaram o documento, declarando que "devem aceitar o programa ou saírem" dos postos no governo.

  • António Costa evita perguntas sobre estágios não remunerados
    1:55
  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.