sicnot

Perfil

Mundo

Parlamento Europeu vai retirar dinheiro do salário de Marine Le Pen

© Benoit Tessier / Reuters

O Parlamento Europeu vai começar em breve a retirar dinheiro do salário da líder da extrema-direita francesa, Marine Le Pen, e a recuperar, desta forma coerciva, fundos pagos indevidamente por Le Pen a uma assistente, informou fonte parlamentar.

Candidata às eleições presidenciais francesas de 23 de abril e 7 de maio, Marine Le Pen tinha até à meia-noite da passada terça-feira para devolver ao Parlamento Europeu (PE) 300 mil euros, mas a eurodeputada e líder da Frente Nacional francesa rejeitou expressamente a exigência pouco antes do final do prazo.

O PE afirma que Le Pen usou incorretamente os fundos para pagar a uma assistente, Catherine Griset, que trabalhava diariamente na sede da Frente Nacional em Paris, e não na assembleia parlamentar europeia, que se reúne em Estrasburgo e em Bruxelas.

Uma fonte do PE não identificada disse à agência France-Presse que a decisão de confiscar o salário de Le Pen não representa qualquer sanção, mas uma tentativa de recuperar os fundos.

Le Pen e os seus representantes tiveram "muitas oportunidades" para esclarecerem as suas posições, acrescentou a fonte.

Os salários dos deputados ao PE são pagos ao 15.º dia de cada mês, pelo que o procedimento deverá começar em breve, indicou a fonte, acrescentando que o salário de um eurodeputado pode ascender a oito mil euros mensais, incluindo suplementos. Griset foi funcionária da Frente Nacional como "assistente acreditada" entre 2010 e 2016.

O PE está ainda a tentar reaver mais de 41.500 euros pagos a Thierry Legier, guarda-costas de Le Pen.

Marine Le Pen disse à AFP na terça-feira que nunca recebeu o dinheiro e comparou o caso com alegações segundo as quais o seu opositor conservador, candidato às presidenciais francesas, François Fillon, pagou à sua mulher e filhos cerca de 900 mil euros por empregos falsos como assistentes parlamentares.

"Para devolver o dinheiro, teria que ter começado por recebê-lo, mas eu não sou François Fillon", afirmou a líder da extrema-direita francesa.

"Mais ainda, contesto formalmente esta decisão unilateral e ilegal", acrescentou Le Pen.

O tesoureiro da Frente Nacional, Wallerand de Saint-Just, confirmou também à agência de notícias francesa, na terça-feira, que Le Pen se tinha recusado a devolver os fundos.

Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.