sicnot

Perfil

Mundo

Parlamento Europeu vai retirar dinheiro do salário de Marine Le Pen

© Benoit Tessier / Reuters

O Parlamento Europeu vai começar em breve a retirar dinheiro do salário da líder da extrema-direita francesa, Marine Le Pen, e a recuperar, desta forma coerciva, fundos pagos indevidamente por Le Pen a uma assistente, informou fonte parlamentar.

Candidata às eleições presidenciais francesas de 23 de abril e 7 de maio, Marine Le Pen tinha até à meia-noite da passada terça-feira para devolver ao Parlamento Europeu (PE) 300 mil euros, mas a eurodeputada e líder da Frente Nacional francesa rejeitou expressamente a exigência pouco antes do final do prazo.

O PE afirma que Le Pen usou incorretamente os fundos para pagar a uma assistente, Catherine Griset, que trabalhava diariamente na sede da Frente Nacional em Paris, e não na assembleia parlamentar europeia, que se reúne em Estrasburgo e em Bruxelas.

Uma fonte do PE não identificada disse à agência France-Presse que a decisão de confiscar o salário de Le Pen não representa qualquer sanção, mas uma tentativa de recuperar os fundos.

Le Pen e os seus representantes tiveram "muitas oportunidades" para esclarecerem as suas posições, acrescentou a fonte.

Os salários dos deputados ao PE são pagos ao 15.º dia de cada mês, pelo que o procedimento deverá começar em breve, indicou a fonte, acrescentando que o salário de um eurodeputado pode ascender a oito mil euros mensais, incluindo suplementos. Griset foi funcionária da Frente Nacional como "assistente acreditada" entre 2010 e 2016.

O PE está ainda a tentar reaver mais de 41.500 euros pagos a Thierry Legier, guarda-costas de Le Pen.

Marine Le Pen disse à AFP na terça-feira que nunca recebeu o dinheiro e comparou o caso com alegações segundo as quais o seu opositor conservador, candidato às presidenciais francesas, François Fillon, pagou à sua mulher e filhos cerca de 900 mil euros por empregos falsos como assistentes parlamentares.

"Para devolver o dinheiro, teria que ter começado por recebê-lo, mas eu não sou François Fillon", afirmou a líder da extrema-direita francesa.

"Mais ainda, contesto formalmente esta decisão unilateral e ilegal", acrescentou Le Pen.

O tesoureiro da Frente Nacional, Wallerand de Saint-Just, confirmou também à agência de notícias francesa, na terça-feira, que Le Pen se tinha recusado a devolver os fundos.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.