sicnot

Perfil

Mundo

Peritos da ONU acusam EUA de violar obrigações em direitos humanos

© Monica Almeida / Reuters

Um grupo de especialistas independentes em direitos humanos da ONU afirmou esta quarta-feira que o veto temporário norte-americano à entrada no país de cidadãos de sete países de maioria muçulmana "viola as obrigações internacionais" dos EUA.

Num comunicado, os especialistas recordam que o direito internacional protege os princípios da não devolução de pessoas a um território onde a sua vida ou liberdade corram perigo e da não discriminação com base na raça, nacionalidade ou religião.

O Presidente Donald Trump assinou na sexta-feira um decreto que suspende a entrada no país de todos os refugiados por um período mínimo de 120 dias (para os sírios o prazo é indeterminado) e dos cidadãos de sete países de maioria muçulmana (Iraque, Irão, Iémen, Líbia, Somália, Sudão e Síria) durante três meses.

A ordem executiva surgiu no âmbito de um pacote de medidas para proteger o país de "terroristas islâmicos radicais".

Os relatores sobre os direitos dos migrantes, François Crépeau, racismo, Mutuma Ruteere, proteção dos direitos humanos na luta contra o terrorismo, Bem Emmerson, tortura, Mils Melzer, e liberdade religiosa, Ahmed Shaheed, assinalam que a proibição "é claramente discriminatória ao basear-se na nacionalidade e aumentar a estigmatização da comunidade muçulmana".

"A recente política migratória dos EUA também pode levar a que pessoas sejam devolvidas, sem um processo individual e procedimentos de asilo adequados, a lugares em que estão em risco de sofrer tortura e outros tratamentos cruéis, desumanos ou degradantes, contra o direito internacional humanitário e as leis internacionais de direitos humanos", indicaram.

Os relatores receiam que as pessoas proibidas de entrar sejam detidas por um período indefinido e posteriormente deportadas.

"Isto é profundamente preocupante", indicam, adiantando que "no meio da pior crise migratória desde a Segunda Guerra Mundial" a medida "representa um importante revés para os que precisam de proteção internacional".

"Os EUA devem cumprir as suas obrigações internacionais e dar proteção aos que fogem da perseguição e dos conflitos", sublinham os especialistas.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    1:16

    Perdidos e Achados

    Ao final do dia 29 de Junho de 1975, 89 agentes da PIDE fugiam da cadeia de Vale de Judeus, em Alcoentre. Mais de 40 anos depois, Perdidos e Achados recupera um dos acontecimentos do Verão Quente em Portugal. Hoje no Jornal da Noite e conteúdos exclusivos no site.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa

  • Casa Madonna di Fatima em Roma é um lar de idosos com 9 irmãs portuguesas
    4:29

    Mundo

    A mais antiga igreja dedicada à Senhora de Fátima em Roma tem mais de 50 anos. Foi construída pelas franciscanas hospitaleiras do Imaculado Coração, uma congregação fundada em Portugal. Hoje, as religiosas portuguesas gerem um lar na mesma rua, mas o templo foi entregue a uma congregação italiana.