sicnot

Perfil

Mundo

Vaticano manifesta "preocupação" com decisões de Trump sobre refugiados e México

© POOL New / Reuters

O Vaticano manifestou esta quarta-feira "preocupação" em relação às decisões de Donald Trump relativas à construção de um muro entre Estados Unidos e México e à proibição de entrada nos Estados Unidos de nacionais de sete países muçulmanos.

"Naturalmente, há preocupações", afirmou o número três na hierarquia do Vaticano, o vice-secretário de Estado Giovanni Angelo Becciu, em declarações à estação de televisão católica, TV2000, em resposta a uma questão relativa à atuação política do novo Presidente norte-americano nos seus primeiros dias de investidura.

"Nós somos construtores de pontes, e não de paredes, e todos os cristãos deveriam reafirmar esta mensagem com veemência", acrescentou. Becciu sublinhou ainda que o Papa Francisco tem reiterado a necessidade de "integrar aqueles que chegam à nossa sociedade, à nossa cultura".

Poucos dias depois de se instalar na Casa Branca, Donald Trump formalizou uma das suas mais sonantes promessas eleitorais, assinando no passado dia 25 de janeiro uma ordem executiva que visa atribuir fundos federais para a planificação e a construção de um muro fronteiriço entre os Estados Unidos e o México, com uma extensão de cerca de 3 mil quilómetros.

Na passada sexta-feira, o novo chefe de Estado norte-americano suspendeu também a entrada de refugiados nos Estados Unidos por, pelo menos, 120 dias e impôs a proibição de entrada a viajantes oriundos do Irão, Iraque, Iémen, Somália, Líbia, Síria e Sudão durante três meses.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras