sicnot

Perfil

Mundo

Hillary Clinton escreve sobre as eleições num novo livro de memórias

© POOL New / Reuters

A ex-candidata presidencial dos Estados Unidos, Hillary Clinton, está a escrever um livro de ensaios onde reflete sobre a sua vida pessoal e profissional, incluindo o que aconteceu nas eleições de 2016, que perdeu para Trump.

Segundo a editora Simon & Schuster, o lançamento está previsto para 26 de setembro, mas a obra ainda não tem título. A editora diz que Hillary vai partilhar vários momentos da sua vida através das suas citações favoritas.

A democrata perdeu as eleições para o republicano Donald Trump, apesar de ter recebido mais votos que o agora Presidente dos EUA. Clinton deve partilhar também a sua visão sobre a eleição de 2016 neste livro.

"Estas são palavras pelas quais vivo", escreveu Hillary Clinton num comunicado. "São citações que me ajudaram a celebrar os bons momentos, a rir em momentos absurdos, e manter-me firme durante os momentos mais duros", explica.

Apesar de se manter afastada do "olhar público", Hillary esteve presente na tomada de posse de Trump. A ex-candidata democrata tem-se mantido distante das "polémicas", apesar de não deixar de criticar algumas políticas do atual Presidente.

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.