sicnot

Perfil

Mundo

Hillary Clinton escreve sobre as eleições num novo livro de memórias

© POOL New / Reuters

A ex-candidata presidencial dos Estados Unidos, Hillary Clinton, está a escrever um livro de ensaios onde reflete sobre a sua vida pessoal e profissional, incluindo o que aconteceu nas eleições de 2016, que perdeu para Trump.

Segundo a editora Simon & Schuster, o lançamento está previsto para 26 de setembro, mas a obra ainda não tem título. A editora diz que Hillary vai partilhar vários momentos da sua vida através das suas citações favoritas.

A democrata perdeu as eleições para o republicano Donald Trump, apesar de ter recebido mais votos que o agora Presidente dos EUA. Clinton deve partilhar também a sua visão sobre a eleição de 2016 neste livro.

"Estas são palavras pelas quais vivo", escreveu Hillary Clinton num comunicado. "São citações que me ajudaram a celebrar os bons momentos, a rir em momentos absurdos, e manter-me firme durante os momentos mais duros", explica.

Apesar de se manter afastada do "olhar público", Hillary esteve presente na tomada de posse de Trump. A ex-candidata democrata tem-se mantido distante das "polémicas", apesar de não deixar de criticar algumas políticas do atual Presidente.

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50