sicnot

Perfil

Mundo

Merkel manifesta preocupação sobre liberdade de expressão na Turquia

Chanceler alemã, Angela Merkel, com Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

© Umit Bektas / Reuters

A chanceler alemã, Angela Merkel, indicou hoje ter transmitido ao Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, as suas preocupações sobre a liberdade de expressão na Turquia, no decurso de uma conferência de imprensa conjunta em Ancara.

"Pela minha parte, sublinhei que a separação de poderes e a liberdade de expressão devem ser asseguradas" na revisão constitucional pretendida por Erdogan e que vai ser submetida a referendo em abril, sublinhou Merkel numa referência ao plano de alterações constitucionais destinadas a reforçar o poder do Presidente e que já foram aprovadas pelo parlamento de Ancara.

A chanceler alemã, em visita oficial à Turquia, também manifestou inquietação sobre a situação da liberdade de imprensa na Turquia e a acreditação de jornalistas alemães no país, após alguns verem rejeitadas as acreditações para o seu trabalho em 2017.

Merkel disse que o referendo sobre reformas constitucionais poderá ser monitorizado por uma delegação da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) "para que seja garantido o que o povo pretende".

A dirigente alemã, que previamente se reuniu com representantes de dois partidos da oposição, acrescentou que "a oposição pertence a um Estado democrático", numa referência velada à vaga de purgas, demissões forçadas e prisões, incluindo de deputados do partido de esquerda pró-curdo HDP, na sequência do falhado golpe de Estado de 15 de junho e da vaga de atentados bombistas no país.

Erdogan respondeu que a separação de poderes vai ser assegurada pela nova Constituição, com outros centros de poder que vão conviver com a presidência. "O poder legislativo permanece. Tal como o executivo e o judicial. A sua dissolução (...) está fora de questão", assinalou Erdogan.

Lusa


  • Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já têm cadastro
    1:59

    Crise no Sporting

    Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já foram condenados por 22 crimes que cometeram no passado, mas nunca nenhum deles cumpriu pena de prisão ou prisão domiciliária. O juiz decretou a prisão preventiva na sequência das agressões à equipa do Sporting por entender que se tratou de um comportamento chocante, terrorista e a perversão do espírito desportivo.

  • Está a pensar ir à praia? Não se esqueça do guarda-chuva
    0:43
  • Abate de animais nos canis proibido a partir de setembro
    1:35

    País

    O abate de animais nos canis passa a ser proibido a partir de setembro. Só em 2017, foram mortos cerca de 12 mil cães e gatos, uma média de um abate por hora. O Governo lançou um programa de incentivos financeiros de um milhão de euros, que ainda está a decorrer.

  • Cabazes solidários oferecidos pelo Governo encontrados no lixo
    0:57
  • Colheita da cereja já arrancou no Fundão
    1:54

    País

    A colheita das primeiras cerejas da época já começou no Fundão. A campanha atrasou um mês em relação a anos anteriores, por causa do inverno que se prolongou, mas os produtores garantem que o fruto é de qualidade.