sicnot

Perfil

Mundo

Merkel manifesta preocupação sobre liberdade de expressão na Turquia

Chanceler alemã, Angela Merkel, com Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

© Umit Bektas / Reuters

A chanceler alemã, Angela Merkel, indicou hoje ter transmitido ao Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, as suas preocupações sobre a liberdade de expressão na Turquia, no decurso de uma conferência de imprensa conjunta em Ancara.

"Pela minha parte, sublinhei que a separação de poderes e a liberdade de expressão devem ser asseguradas" na revisão constitucional pretendida por Erdogan e que vai ser submetida a referendo em abril, sublinhou Merkel numa referência ao plano de alterações constitucionais destinadas a reforçar o poder do Presidente e que já foram aprovadas pelo parlamento de Ancara.

A chanceler alemã, em visita oficial à Turquia, também manifestou inquietação sobre a situação da liberdade de imprensa na Turquia e a acreditação de jornalistas alemães no país, após alguns verem rejeitadas as acreditações para o seu trabalho em 2017.

Merkel disse que o referendo sobre reformas constitucionais poderá ser monitorizado por uma delegação da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) "para que seja garantido o que o povo pretende".

A dirigente alemã, que previamente se reuniu com representantes de dois partidos da oposição, acrescentou que "a oposição pertence a um Estado democrático", numa referência velada à vaga de purgas, demissões forçadas e prisões, incluindo de deputados do partido de esquerda pró-curdo HDP, na sequência do falhado golpe de Estado de 15 de junho e da vaga de atentados bombistas no país.

Erdogan respondeu que a separação de poderes vai ser assegurada pela nova Constituição, com outros centros de poder que vão conviver com a presidência. "O poder legislativo permanece. Tal como o executivo e o judicial. A sua dissolução (...) está fora de questão", assinalou Erdogan.

Lusa


  • Mais de 1600 ações de fiscalizações a IPSS em dois anos
    1:05

    Expresso da Meia Noite

    Nos últimos dois anos, o Estado efetuou mais de 1600 ações de fiscalização a Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) das quais resultaram mais de 70 destituições e 80 participações ao Ministério Público (MP). Os números foram avançados pela secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim, no programa Expresso da Meia-noite, na SIC Notícias.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23
  • Ilhas Selvagens são um tesouro no Atlântico que é preciso preservar
    2:33