sicnot

Perfil

Mundo

Presidente turco repreende Merkel sobre expressão "terrorismo islamita"

© Umit Bektas / Reuters

O Presidente turco Recep Tayyip Erdogan insurgiu-se esta quinta-feira contra o termo "terrorismo islamita" para designar os ataques dos grupos 'jihadistas', e censurou a chanceler alemã Angela Merkel por ter utilizado a expressão numa conferência de imprensa conjunta.

Ao exprimir-se após um encontro com Erdogan em Ancara, Merkel mencionou o "terrorismo islamita" entre os assuntos abordados no decurso das conversações. De imediato, o Presidente turco contestou as declarações da chanceler alemã.

"A expressão 'terrorismo islamita' causa-nos uma profunda mágoa. Semelhante expressão não pode ser utilizada, não é justo. Porque Islão e terrorismo não podem ser associados", disse. "A palavra 'Islão' significa 'paz'.

Em consequência, se associamos duas palavras que associam a paz ao terrorismo, isso penaliza os fiéis dessa religião [Notes:o Islão] ". "Não utilizemos isso, por favor, porque enquanto for o caso seremos forçados a opor-nos. Se permanecermos silenciosos isso significará aceitá-lo. Eu, enquanto muçulmano, enquanto Presidente muçulmano, não o posso aceitar", prosseguiu.

As expressões "terrorismo islamita" e "terrorismo islâmico" são amplamente utilizados por governos e responsáveis europeus para designar os ataques perpetrados por organizações 'jihadistas', designadamente o grupo extremista Estado Islâmico (EI), acusado pelas autoridades turcas de numerosos atentados que atingiram o país nos últimos meses.

O ex-Presidente norte-americano Barack Obama e a sua administração recusavam-se a utilizar esta expressão, mas Donald Trump, o novo inquilino da Casa Branca, elegeu a luta contra o "terrorismo islamita radical" como um dos temas fortes da sua campanha eleitoral.

Durante o discurso de investidura em 20 de janeiro, Trump prometeu "erradicar" o "terrorismo islamita radical".

Erdogan e Merkel mantiveram hoje um encontro tenso na capital turca no decurso de uma visita oficial da chanceler germânica e um reflexo da atual relação entre os dois países devido, entre outros motivos, às acusações de que a Alemanha não apoia a Turquia contra os "grupos terroristas".

A Turquia também pretende a extradição de cerca de 40 soldados envolvidos no fracassado golpe militar em julho e que rejeite os pedidos de asilo de pessoas relacionadas com um movimento que Ancara acusa de ter fomentado o golpe.

Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.