sicnot

Perfil

Mundo

Uber anuncia suspensão temporária de serviço em Taiwan por pressão governamental

© Reuters Photographer / Reuter

A empresa norte-americana Uber anunciou esta quinta-feira a suspensão temporária dos seus serviços em Taiwan a partir de 10 de fevereiro, por pressão do Governo que exige um registo como empresa de transporte.

A Uber também expressou a intenção de reiniciar negociações com o executivo de Taiwan para "inovar a tecnologia de transportes".

"Esta é uma decisão difícil", indica um comunicado da empresa em que é mencionada a sua contribuição para 15 milhões de viagens em quatro anos de operação na ilha.

O anúncio aconteceu depois de o Governo taiwanês passar 48 multas num valor total de 1.100 milhões de dólares taiwaneses (31.798 milhões de euros) desde 06 de janeiro deste ano, data em que entrou em vigor uma revisão da Lei de Transportes e Estradas, que elevou o montante máximo de penalizações para serviços de transportes ilegal de passageiros.

O Ministério dos Transportes de Taiwan ordenou à Uber que cesse as suas operações e disse que a proibição dos seus serviços vai continuar enquanto a empresa não respeitar as leis locais.

A Uber está registada como empresa de serviços informáticos, apesar de prestar serviços de transportes, segundo o Governo de Taiwan.

Anteriormente o Ministério dos Transportes tinha indicado que a Uber tinha recebido multas num total de 68,45 milhões de dólares taiwaneses (2,03 milhões de euros) por 481 violações, e os seus condutores tinham sido multados em 20,83 milhões de dólares taiwaneses (612.545 euros) até ao final de dezembro do ano passado.

Com a revisão da lei, a multa máxima aplicada a operadores de serviços de transporte ilegais passou de entre 50.000 (1.483 euros) e 150.000 dólares taiwaneses (4.453 euros) para entre 100.000 (2.967dólares) e 25 milhões de dólares taiwaneses (831.133 euros).

Lusa

  • Boicote à Uber nos EUA após protesto de taxistas contra Trump

    Mundo

    Milhares de pessoas nos EUA manifestaram-se no sábado passado contra o diploma anti-imigração de Donald Trump. Um dos protestos com maior impacto teve lugar em vários aeroportos do país. Em Nova Iorque, uma associação de taxistas apelou a um boicote no Aeroporto Internacional John F. Kennedy. Durante uma hora, ao final da tarde, os taxistas suspenderam os serviços para este aeroporto. A Uber assumiu, no entanto, uma postura distinta. A empresa anunciou uma descida de preços, o que foi visto como um boicote ao protesto e são muitos os que decidiram desativar a aplicação da Uber.

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".